Vizinhos de Congonhas fazem laudo de imóveis

Moradores do Jardim Aeroporto, na zona sul de São Paulo, vão encomendar laudos preventivos de especialistas em avaliação de imóveis para evitar serem pegos de surpresa caso suas casas sejam desapropriadas pela Prefeitura de São Paulo para a ampliação das pistas do Aeroporto de Congonhas. A Prefeitura estima que 2.

Agência Estado |

000 imóveis devem ser desapropriados para a obra, a um custo de R$ 400 milhões.

Eles pretendiam entrar com uma ação popular na Justiça, mas foram orientados por advogados a pagar os laudos e depois contestar a avaliação do município se a desapropriação se concretizar. “Se ingressássemos com a ação, poderíamos perder porque o município pode alegar interesse público na área”, afirma Alice Teixeira Ferreira, de 66 anos, professora universitária e moradora da rua Almeida Ferraz, atrás de Congonhas. A casa em que a professora mora há 27 anos vale entre R$ 200 mil a R$ 300 mil, segundo ela. “É um terreno grande, com quintal e jardim. Não é justo receber depois um valor subavaliado”, diz.

Mesmo sem haver definição das casas que serão desapropriadas, os vizinhos dela pensam em seguir o mesmo caminho. “Embora não saibamos exatamente quais imóveis serão desapropriados, pensamos em contratar laudos para nos precaver”, afirma a aposentada Benedita Oliveira Oruê, de 82, que mora há 40 anos no bairro. “Vão querer pagar pelo valor do terreno, não é justo. É uma casa grande. Vale no mínimo R$ 300 mil”, afirma Benedita. As informações são do Jornal da Tarde .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG