A vitória de Márcio Lacerda (PSB) para a prefeitura de Belo Horizonte é um sinal de que o PT e o PSDB, adversários ferrenhos no plano nacional, podem se unir não apenas em torno de uma parceria eleitoral vitoriosa, mas também para consolidar reformas e aprovar os projetos necessários ao País em um momento em que o setor financeiro vive uma de suas maiores crises. A avaliação é do cientista político e professor da Universidade Federal de Belo Horizonte, Fábio Wanderley Reis.

O cientista diz que neste delicado cenário econômico o governo federal precisará do apoio das forças políticas para aprovar medidas de combate aos efeitos da crise mundial e, portanto, seria bom que situação e oposição pudessem se unir em torno de ações propositivas. "Espero que essa parceria vitoriosa entre PSDB (governador Aécio Neves) e PT (prefeito Fernando Pimentel), dois dos partidos mais consistentes no cenário político nacional, sirva de modelo para uma coalizão num momento de crise financeira global", destacou.

Para Fábio Wanderley, além da boa parceria entre PSDB e PT, a vitória de Lacerda sobre o peemedebista Leonardo Quintão, que chegou a estar com larga vantagem nas pesquisas de intenção de voto no início deste segundo turno, também pode ser creditada à capacidade de transmitir aos eleitores, na reta final do pleito, a imagem de um sujeito sério e competente. "Aliado a isso, a linha demagoga e populista de Quintão ficou evidente e o eleitorado mais volátil deixou de apostar em sua candidatura."

Perfil

O empresário Márcio Lacerda, de 62 anos, entrou tarde na vida política. Durante 26 anos trabalhou em suas empresas, do setor de equipamentos e redes de telefonia, e participou da direção de entidades empresariais do setor. Em 2001, passou a colaborar com a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e em 2003 assumiu seu primeiro cargo público, como secretário executivo do Ministério da Integração Nacional, na gestão do ministro Ciro Gomes, no primeiro mandato do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

A parceria com um de seus principais padrinhos políticos, o governador mineiro Aécio Neves (PSDB), foi inaugurada em abril de 2007, quando foi nomeado secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais. A candidatura de Lacerda foi patrocinada por Aécio e pelo atual prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), tendo como base os elevados índices de aprovação das gestões municipal e estadual.

Mineiro de Leopoldina, na Zona da Mata, Lacerda é formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ele iniciou o curso em 1967, mas só o concluiu dez anos depois, devido ao período de quatro anos que passou preso por sua militância no Partido Comunista Brasileiro e posterior adesão à Aliança Libertadora Nacional (ALN).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.