Nova York, 13 ago (EFE).- Sheryl Weinstein, umas das vítima de Bernard Madoff, o financista que cumpre uma pena de 150 anos por realizar a maior fraude da história de Wall Street, escreveu um livro em que conta que manteve uma relação extraconjugal com ele, que será publicado no dia 25 de agosto.

Em "Madoff's Other Secret: Love, Money, Bernie, and Me", Sheryl, de 60 anos, confessa que manteve uma relação sentimental com Madoff, segundo a sinopse que a cadeia de livrarias Barnes & Noble disponibilizou hoje em seu site.

"Ela era uma proeminente mulher de negócios, inteligente e bem-sucedida. Após manter durante 20 anos uma relação íntima com Madoff, perdeu tudo", afirmou a cadeia de livrarias, que assegura que o livro revelará "um Madoff que ninguém conhecia e que escandalizará e surpreenderá os leitores".

A editoria St. Martin's publicará a obra de Sheryl no final do mês, que é uma das milhares de clientes de quem Madoff, de 71 anos, roubou dinheiro, através de um esquema de pirâmide avaliado em US$ 65 bilhões e quem, durante o julgamento o qualificou de "animal".

"Ninguém conhece Bernie Madoff como eu", afirmou a autora do livro que contará com "detalhes pessoais, documentos exclusivos e fotografias".

Sheryl negou sua suposta relação sentimental com Madoff, há poucos meses, lembrou hoje a cadeia televisiva "ABC".

"Se ela quer anunciar ao mundo inteiro que manteve uma aventura, é uma coisa sua. Não quero nem afirmar, nem desmentir o que diz, mas espero que se divirta admitindo que enganou seu marido", assegurou o advogado de Madoff, Ira Sorkin.

Sheryl, casada há 37 anos, assegurou durante o julgamento contra Madoff em Nova York que tinha conheceu o financista há 21 anos, durante uma reunião de trabalho no qual qualificou como "provavelmente o dia menos sortudo" de sua vida, já que confiar no criminoso a custou suas economias e sua casa. EFE dvg/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.