BRASÍLIA - Senadores pediram nesta terça-feira que o senador José Sarney (PMDB-AP) renuncie ao cargo de presidente do Senado. O senador Pedro Simon (PMDB-RS), um dos parlamentares mais antigos do parlamento, disse que licenciar-se do cargo não é mais suficiente, apenas renunciar à presidência podia arrefecer a crise que assola o Senado. Já Arthur Virgílio (PSDB-AM) anunciou que encaminhou ao Conselho de Ética uma terceira denúncia contra o presidente.


Ele tem de se afastar. A imprensa já diz: o presidente Getúlio Vargas saiu da vida para entrar na história; e o Presidente Sarney saiu da história para cair na vida. Ele tem de renunciar, discursou Simon em plenário.

Se afaste! Se afaste! É a melhor coisa que ele pode fazer: ter um ato histórico, um ato de grandeza, renunciando ao mandato, continuou o senador gaúcho, que recebeu o endosso dos senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Jefferson Praia (PDT-AM) e José Nery (PSol-PA).

É melhor que o presidente se afaste para que a investigação seja transparente, punindo ao final, todos os culpados por estas falcatruas que todo mundo conhece e que a população está enojada, querendo solução, querendo punição, disse Nery.

Agência Senado
Sarney pediu investigação sobre possíveis contas em seu nome

Simon pediu a renúncia de José Sarney da presidência do Senado após o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), anunciar que encaminhou ao Conselho de Ética uma terceira denúncia contra o presidente.

Virgílio já havia apresentado denúncia questionando a responsabilidade de Sarney na possível fraude envolvendo a Fundação José Sarney , mas decidiu apresentar nova denúncia, desta vez acusando-o de quebra de decoro parlamentar por ter mentido em plenário, quando negou ter responsabilidade na administração da fundação - fato posteriormente desmentido em reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

Arthur Virgílio ainda apresentou denúncia contra Sarney responsabilizando-o pela edição de 663 atos administrativos secretos que foram editados pela administração do Senado para contratar parentes de senadores e aumentar rendimentos dos diretores sem conhecimento público.

O PSol também apresentou representação contra Sarney e Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, por responsabilidade na edição dos atos secretos. O Conselho de Ética do Senado está inoperante desde março deste ano, e deverá ter seus novos membros eleitos nesta quarta-feira .

Leia também:

Leia mais sobre: Sarney - Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.