Violência no Brasil não distingue homens ou mulheres

A violência tem idade mas não tem gênero no Brasil. É o que indica a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) realizada entre a população residente em regiões metropolitanas em 2008, divulgada nesta quarta-feira.

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

O resultado mostra que, entre as 3,7 milhões de pessoas que sofreram algum tipo de violência nos 2 anos anteriores à pesquisa (1,9% da população), 50,5% eram homens e 49,5%, mulheres.

Entretanto, a pesquisa leva em conta a maioria da população brasileira é do sexo feminino (52,4%). Mesmo assim, o número absoluto de mulheres vítimas de agressão só supera o de homens nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. 

Quase metade absoluta das vítimas de violência, 1,5 milhão de pessoas, mora no Sudeste, região que concentra 42% da população. 

Relativamente, o Norte é a região com maior índice de vitimados: 2,5% (376 mil). O Nordeste registrou o menor valor: 1,8%, ou 987
mil pessoas.

As maiores vítimas da violência, mostra a pesquisa, são pessoas entre 18 e 39 anos. O grupo concentra 46,7% das vítimas (27,8% tinham entre 40 e 59 anos). Os grupos menos vulneráveis são pessoas com mais de 60 anos. Na região Sul houve a maior incidência de vitimização entre as pessoas desse grupo: 9,3%.

Leia também:

Leia mais sobre: Pnad

    Leia tudo sobre: pnad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG