Vidro moído é encontrado em café de Beltrame no Rio

Exames periciais atestaram a presença de vidro moído no pó de café fornecido ao gabinete da Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro. O exame foi solicitado ao Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) pelo próprio secretário, José Mariano Beltrame, e descobriu também a presença de areia e gravetos no café da marca Ouro Velho.

Agência Estado |

A Distribuidora Kardu de Alimentos, empresa constituída desde 1986 e que forneceu o produto ao gabinete, será denunciada ao Ministério da Agricultura e terá o nome cassado da lista de fornecedores da secretaria.

Ao descobrir que a mesma distribuidora de alimentos atende também ao Tribunal de Contas do Município (TCM), com café da mesma marca, a Secretaria de Segurança solicitou ao TCM amostras do produto fornecido para encaminhá-las à análise do Ministério da Agricultura, responsável pela fiscalização dos alimentos. A própria secretaria solicitou ao fornecedor outra amostra do produto para servir de contra-prova.

A empresa, situada no Centro de Abastecimento conhecido como Cadeg, na zona norte da capital fluminense, pertence aos irmãos Carlos Alberto, Eduardo Augusto e Eduardo Alberto de Jesus Raymundo Araripe Pereira. Ela conquistou o fornecimento do café à Secretaria de Segurança em um leilão eletrônico, ao oferecer o preço mais baixo, como determina a legislação. Procurados, os proprietários da empresa não responderam aos chamados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG