Vídeo põe em dúvida confissão do Maníaco de Guarulhos

A veracidade das confissões de Leandro Basílio Rodrigues, apelidado pela polícia de Maníaco de Guarulhos, foi colocada em dúvida após o surgimento de dois vídeos obtidos pelo jornal O Estado de S.Paulo: em um deles, feito pelo Setor de Homicídios de Guarulhos, Rodrigues dá detalhes sobre a abordagem e a execução de Vanessa Batista de Freitas.

Agência Estado |

Em outro, produzido por um juiz, ele nega ter sido o autor do assassinato e acusa policiais de o terem torturado.

A reviravolta no caso aconteceu em setembro, com a prisão de Rodrigues. Ao chegar à delegacia, ele teria confessado 50 homicídios. Mais tarde, admitiu três estupros seguidos de morte - incluindo o de Vanessa, em 2006. O problema é que, tanto para a polícia quanto para o Judiciário, o assassinato estava esclarecido havia dois anos. Os acusados eram Renato Correia Brito, ex-namorado da vítima, William César de Brito Silva e Wagner Conceição da Silva. Presos desde a época do crime, os três foram soltos e também disseram terem sido torturados. Eles serão julgados dentro de nove dias.

Ao ser interrogado pelo juiz Jayme Garcia dos Santos Júnior, Rodrigues voltou atrás. "Não fui eu que cometi, não. Fui torturado, na verdade", disse o acusado. "Por que o senhor levou a polícia até o local?", questiona o juiz. "Eles me levaram até o local, me mostraram o lugar certo onde estava o cadáver", afirma. "Fizeram isso ameaçando minha família." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG