BRASÍLIA - O senador Tião Viana (PT-AC) entregará até o fim da noite desta quarta-feira ao líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), uma carta dizendo que se comprometerá com as doze propostas apresentadas pelo partido tucano como condição para ganhar o apoio da banda na sucessão da presidência do Senado.

Na carta, Viana diz que observa a coincidência de todos estes 12 pontos com compromissos firmados na defesa da renovação do Poder Legislativo que minha candidatura representa, entre eles o de apresentar propostas para reerguer a imagem do Senado.

Seria contraditório defender tal proposta se a minha própria candidatura não estivesse, como está, tendo o cuidado de zelar pela boa imagem do Senado, sendo construída à luz do dia e, como disse, afirmada publicamente, valorizando a transparência e buscando a superação dos conchavos e da dissimulação que tanto compromete o exercício da política, afirma Viana. 

O senador petista afirma também que atuará pela independência do Senado, respeitará a oposição, não apoiará um eventual projeto que viabilize o terceiro mandato do presidente Lula e ainda se compromete com as reformas que constituem instrumentos para superar a crise financeira internacional.

Dentre as outras exigências do PSDB estão: o combate ao excesso de medidas provisórias editadas pelo Executivo; prioridade para o projeto de Reforma Tributária relatada pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) na Comissão de Assuntos Econômicos; participação igualitária dos senadores nos veículos de comunicação do Senado; transparência na gestão; garantia de que todos os vetos presidenciais serão colocados em votação do Congresso Nacional; e ainda o compromisso de não dificultar a criação de CPIs.

A eleição dos novos membros da Mesa Diretora será no próximo dia 2, segunda-feira. Concorre à presidência do Senado, além do senador Tião Viana, o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP).

Leia também:

Leia mais sobre: eleições no Congresso

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.