Militantes da Via Campesina mantiveram hoje a área de autoatendimento de uma agência do Banco do Brasil (BB) sob ocupação por cerca de uma hora e meia em Erechim, no norte do Rio Grande do Sul, bloqueando a saída e a entrada de pessoas no prédio. A manifestação foi dissolvida pela Brigada Militar (BM, a Polícia Militar gaúcha), que deteve 38 pessoas e as levou para a Delegacia de Pronto Atendimento.

Segundo delegado Gerson Fraga, os sete líderes ficarão presos e à disposição de Justiça, por manutenção de pessoas sob cárcere privado (de quem ficou dentro da agência). Os demais serão identificados, ouvidos como testemunhas e liberados.

De acordo com um comunicado distribuído pela Via Campesina, os pequenos agricultores estavam mobilizados para pressionar os governos federal e estadual a adotarem medidas que reduzam suas perdas com as recentes estiagens ocorridas no Rio Grande do Sul. "Perdemos cinco das últimas sete safras. Não temos como pagar as dívidas", disse uma integrante da organização e participante do protesto. "O governo, que destina muito dinheiro para empresas de celulose, deve ajudar também a agricultura familiar." Funcionários informaram que a pauta de reivindicações foi recebida e encaminhada à direção do BB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.