Armados com paus, cerca de mil agricultores ligados à Via Campesina ocuparam hoje o Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Fortaleza. A ação contou com o apoio dos Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e dos Atingidos por Barragens (MAB).

O ato integra a Jornada Nacional de Luta, desencadeada hoje em todo o País.

Homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) foram acionados, causando um clima tenso. Não houve confronto. Após os manifestantes exporem as reivindicações aos representantes governamentais, os policiais deixaram o local. De acordo com o ativista Flávio Barbosa, integrante da Via Campesina, a escolha pelo Porto do Pecém deu-se por ser este, segundo os manifestantes, um símbolo da política de desenvolvimento agrícola que privilegia multinacionais em detrimento ao pequeno agricultor. Os manifestantes também querem impedir a construção de uma termelétrica a carvão mineral que está prevista para os arredores do porto. A Via Campesina posiciona-se contra o projeto por acreditar que o carvão é uma fonte muito poluidora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.