Estrelas do Buena Vista Social Club, ganhador de um Grammy em 1998, vão participar de dois shows no Brasil a partir da próxima quarta-feira, informou nesta quinta-feira o timbalero de oro do famoso projeto musical, Amadito Valdés.

"A ideia é continuar defendendo as propostas musicais tradicionais. Levamos Som, Chachachá e Bembé (rumba), e os temas ícones do Buena Vista: 'Dos gardenias', 'El cuarto de tula' e 'Chan Chan'", disse Valdés a jornalistas em uma casa do bairro do Centro de Havana, onde afina o repertório que levará ao Brasil.

O primeiro show está marcado para a próxima quarta-feira em São Paulo, e que oito dias depois se apresentará na cidade de Olinda (Pernambuco).

"Os promotores estão entusiasmados e o "Buena Vista é sempre bem-vindo".

Criado em 1996 pelo compositor cubano Juan de Marcos e o guitarrista americano Ry Cooder, e ganhador de um Grammy dois anos depois, o Buena Vista reuniu músicos veteranos da ilha, convertendo-se no fenômeno mais importante da música cubana nos últimos 50 anos.

A banda terá como convidados, no baixo, Fabián García, que fez parte da orquestra da diva do Buena Vista, Omara Portuondo, e as cantoras Teresa García (Teté).

"Será um sucesso no Brasil, porque este repertório está preparado com coração e muito sabor", disse García à AFP.

Valdés e Torres são dois dos seis protagonistas vivos do projeto, entre os quais também estão Portuondo, Jesús 'Aguaje' Ramos (trombone) e Manuel Galbán (guitarra).

Entre os já falecidos figuraram Orlando 'Cachaíto' López (baixo), que morreu em fevereiro passado; o cantor Wilfredo 'Pío' Leyva (2006), o "bolerista" Ibrahím Ferrer (2005), e o carismático Compay Segundo, além do pianista Rubén González, ambos falecidos em 2003.

Leia mais sobre Buena Vista Social Club

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.