RIO DE JANEIRO - A Justiça Eleitoral cassou o mandato da vereadora Carminha Jerominho (PTdoB), por arrecadação ilegal de recursos. Ela é filha do ex-vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, e sobrinha do ex-deputado Natalino Guimarães, ambos condenados a 10 anos de prisão por chefiarem milícias na zona oeste do Rio de Janeiro.

A decisão foi do juiz da 228ª Zona Eleitoral, Eduardo Perez Oberg, que determinou ainda o cumprimento imediato da sentença - neste caso, o recurso não suspende os efeitos da decisão. A assessoria da vereadora informou que ela vai recorrer. Carminha foi eleita mesmo estando presa no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná.

De acordo com denúncia do Ministério Público Eleitoral, Carminha e o irmão Luciano Guimarães, também condenado por atuar na milícia, teriam determinado o aumento do preço do botijão do gás das favelas Batan, Barbante e Carobinha a fim de usar os recursos na campanha da então candidata.

A prestação de contas da vereadora já havia sido rejeitada pelo juízo da 228ª Zona Eleitoral, por abuso do poder econômico, comprovação de "caixa dois" e arrecadação ilegal. Durante a campanha, Carminha reuniu R$ 44.100,00 - cerca de metade de todo o valor arrecadado nas eleições - antes mesmo de a então candidata ter aberto a conta bancária específica para a movimentação do dinheiro da campanha, prevista em lei.

Assista ao vídeo sobre o caso:

Leia mais sobre: Carminha Jerominho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.