Vereador que dirigia bêbado é proibido de ir a bares

A Justiça de Sorocaba, no interior de São Paulo, proibiu o vereador Emilio Ruby de Souza (PMN), que foi flagrado dirigindo embriagado no ano passado, de frequentar bares pelo período de dois anos. Se for visto em estabelecimentos que servem bebidas alcoólicas, o vereador pode ser denunciado à Polícia Militar por qualquer cidadão.

iG São Paulo |

A Justiça de Sorocaba, no interior de São Paulo, proibiu o vereador Emilio Ruby de Souza (PMN), que foi flagrado dirigindo embriagado no ano passado, de frequentar bares pelo período de dois anos. Se for visto em estabelecimentos que servem bebidas alcoólicas, o vereador pode ser denunciado à Polícia Militar por qualquer cidadão.

A sentença resulta de um acordo proposto hoje pelo juiz Marco José Corrêa, da 2ª Vara Criminal de Sorocaba, e que foi aceito pelo vereador. Ele também não poderá se ausentar da cidade, nos próximos 24 meses, por período superior a 30 dias sem ser autorizado pela Justiça.

Até maio de 2012, o vereador terá de se apresentar de três em três meses no Fórum para prestar contas de sua vida pessoal, profissional e política. Ruby é acusado de ter passado um sinal vermelho na disputa de um "racha" com outro veículo, em setembro do ano passado. Parado pelos policiais militares, ele tentou se livrar dando uma "carteirada", na qual invocou a condição de vereador. O bafômetro acusou a ingestão do dobro de álcool que o permitido por lei para estar ao volante. Ele foi levado ao plantão da Polícia Civil, mas pagou fiança e livrou-se da prisão.

Ruby responde a processos por direção perigosa e embriaguez ao volante. De acordo com o promotor criminal José Luiz Lozano Júnior, uma lei especial permite a suspensão do processo mediante a imposição de condições, quando a pena mínima prevista para o crime é igual ou inferior a um ano. No término do prazo, se cumpridas as condições, o processo será extinto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG