Verão pede cuidado redobrado com higiene íntima, alertam especialistas

Com o aumento das temperaturas, a transpiração também é maior. Por isso, os cuidados com a higiene, inclusive a íntima, devem ser redobrados nesta época.

Agência Estado |

"No verão, as condições ajudam na proliferação de microorganismos, principalmente os fungos, que levam à candidíase", diz a ginecologista Carolina Ambrogini, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

As medidas são bem simples, como tomar mais banhos, usar roupas leves e calcinhas de algodão. Nos meses do verão, a freqüência de mulheres aos consultórios de ginecologistas com queixas de sintomas de candidíase, como coceira e aumento de corrimento, chega a aumentar em um terço, segundo a ginecologista. Hábitos aparentemente inocentes, como ficar o dia inteiro com o biquíni molhado, criam o ambiente perfeito - quente e úmido - para fungos e bactérias se multiplicarem.

Além disso, usar calça comprida e tecidos sintéticos ajuda a abafar a região. "O melhor é usar roupas mais frescas e largas, como saias e vestidos", indica a médica. Também deve ser abolido o uso de protetores diários, que ajudam a abafar a região. A ginecologista indica o uso, durante o período menstrual, de absorventes internos, mesmo que não se vá à praia ou à piscina.

Para ajudar com os cuidados nessa parte do corpo tão delicada, laboratórios lançaram vários produtos, em forma de sabonete líquido, spray e lenços umedecidos. "Em geral, o uso desses produtos é benéfico, porque leva as pessoas a terem mais cuidado", atesta Carolina. Ela afirma, ainda, que devem ser evitados por alérgicas, que podem ter reações por conta do cheiro.

Produtos

Autor do livro "Infecção genital na mulher", o professor Sérgio Peixoto, do Hospital das Clínicas e da Faculdade de Medicina do ABC, explica que a região vaginal é ácida, enquanto os sabonetes convencionais, em barra, são alcalinos e fazem espuma, que é irritante. Já os produtos voltados à higiene íntima são mais adequados, pois têm acidez semelhante, mas não devem ser usados todos os dias. Outro alerta: evitar depilação em excesso. "Os pêlos devem ser retirados no máximo uma vez por semana."

Para os homens, as dicas são as mesmas, para evitar infecções. O urologista Fernando Almeida, da Unifesp, afirma que não há necessidade de se usar um sabonete específico para a região genital. "A pele é igual à do resto do corpo. Basta usar água e sabonete. Se fizer mais calor, lavar mais de uma vez ao dia."

Andrezza Zanandrea

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG