Vendas e produção de veículos sobem em maio ante abril

Por Alberto Alerigi Jr. SÃO Paulo (Reuters) - As vendas de veículos novos no Brasil voltaram a crescer em maio na comparação mensal, depois de terem recuado em abril, segundo dados da associação que representa as montadoras, a Anfavea, divulgados nesta quinta-feira.

Reuters |

A entidade informou não ter iniciado as conversas com o governo sobre a eventual renovação no corte do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre carros, que vem dando suporte às vendas desde o final do ano passado.

A indústria brasileira comercializou 247 mil veículos no mês passado, uma alta de 5,4 por cento sobre abril e de 2,1 por cento sobre maio do ano passado.

O aumento das vendas foi acompanhado pelo avanço na produção sobre abril, em 6,7 por cento, para 270,2 mil unidades. Na comparação com maio de 2008, porém, a produção recuou 7,7 por cento.

Segundo o presidente da Anfavea, Jackson Schneider, o previsto fim do IPI reduzido sobre veículos no final deste mês deve fazer com que consumidores antecipem suas compras.

"Trabalhamos com a informação que a medida do governo vai até o fim de junho", disse ele a jornalistas.

O corte do IPI para automóveis entrou em vigor em meados de dezembro, com validade inicial até março. O governo estendeu a desoneração até junho, devido ao sucesso da medida.

O presidente da Anfavea, contudo, disse que as montadoras sentiram um efeito mais forte do IPI sobre as vendas nos três primeiros meses de redução do tributo.

"Esse benefício se mostrou muito oportuno em dezembro, quando a indústria estava paralisada, mas a partir de 40 dias depois, começou a haver uma volta da oferta de crédito", disse Schneider, referindo-se ao retorno de bancos pequenos e médios ao financiamento de veículos.

A indústria automotiva fechou maio com um estoque de 212.749 unidades, o equivalente a 26 dias de vendas, nível considerado pela Anfavea como normal.

A associação manteve a previsão de queda de 3,9 por cento nas vendas de veículos em 2009, para 2,70 milhões de unidades, e de recuo de 11,1 por cento na produção, para 2,86 milhões de unidades.

No acumulado de janeiro a maio foram vendidos 1,15 milhão de veículos novos, 0,1 por cento abaixo do comercializado no mesmo período de 2008, informou a Anfavea. A produção acumulada soma 1,19 milhão de unidades, 14,2 por cento menos que um ano antes.

As montadoras fecharam maio com 120.378 empregados, uma queda de 0,3 por cento sobre abril e de 4,9 por cento sobre maio do ano passado.

A montadora líder em vendas de automóveis e comerciais leves continuou sendo a Fiat, com 60.619 unidades em maio. Em seguida, ficou a Volkswagen, com 55.779 unidades. A General Motors vendeu 47.881 unidades em maio e a Ford comercializou 22.504 unidades.

MERCADO EXTERNO DEPRIMIDO

Segundo a Anfavea, as exportações em maio seguiram deprimidas na comparação anual, diante da fraca demanda internacional com a crise econômica global. Em unidades, as vendas externas subiram 15,3 por cento sobre abril, mas desabaram 33,7 por cento ante maio de 2008, para 40.380 veículos.

Em valores, as exportações em maio somaram 505,7 milhões de dólares, uma alta 1,7 por cento sobre abril, mas queda de 42,6 por cento frente ao mesmo mês do ano passado.

De janeiro a maio as vendas externas foram de 162.447 unidades, ou 2,28 bilhões de dólares, queda de cerca de 47 por cento nos dois casos ante igual período do ano passado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG