Vendas de aço no Brasil em maio crescem 5,9% sobre abril

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de produtos siderúrgicos no país em maio cresceram 5,9 por cento sobre o mês anterior, para 1,3 milhão de toneladas, afirmou o Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS) nesta segunda-feira. O resultado acompanha tendência gradual de recuperação do setor desde fevereiro, após o tombo sofrido no final de 2008. Porém, na comparação com maio de 2008 as vendas mostraram retração de 35,6 por cento.

Reuters |

Nos primeiros cinco meses do ano, as vendas de produtos siderúrgicos no país somaram 5,6 milhões de toneladas, queda de 41,2 por cento com relação ao mesmo período do ano anterior.

Por produtos, as vendas de laminados em maio foram de 1,266 milhão de toneladas, acima das 1,192 milhão de toneladas de abril. Porém, a exemplo das vendas totais, esse volume representa queda na comparação com maio de 2008, de 34,6 por cento. Entre janeiro e maio, as vendas dessa categoria acumulam 5,457 milhões de toneladas, tombo de 40,6 por cento sobre o mesmo período do ano passado.

Na semana passada, o instituto havia informado números preliminares que indicavam produção de 1,87 milhão de toneladas de aço em maio, no melhor resultado desde a queda acentuada do volume fabricado a partir de novembro.

Pelos números finais do balanço, divulgados nesta segunda-feira, o setor produziu 1,9 milhão de toneladas de aço bruto em maio, crescimento de 9,5 por cento em relação a abril e queda de 36,3 por cento na comparação com o mesmo mês em 2008.

A produção de laminados em maio foi de 1,613 milhão de toneladas, contra 1,467 milhões de toneladas em abril e 2,221 milhões de toneladas em maio de 2008. De janeiro a maio, a produção desse produto soma 6,551 milhões de toneladas, queda de 40,1 por cento na comparação com o mesmo período de 2008.

RETOMADA

O incremento nas vendas e produção tem feito algumas siderúrgicas do país a religarem alto-fornos que pararam para trabalhos de manutenção antecipada entre o final do ano passado e início deste ano.

A Gerdau anunciou retomada gradual de um alto-forno de 3 milhões de toneladas da usina Açominas a partir de 1o de julho nesta segunda-feira. O equipamento estava parado desde dezembro. Enquanto isso, a CSN informou na semana passada que religou o alto-forno 2 da usina Presidente Vargas após reforma que durou 90 dias e consumiu investimentos de 100 milhões de reais.

A Usiminas, por sua vez, informou à Reuters nesta segunda-feira que ainda não tem previsão para reativar três de seus cinco altos-fornos. "O mercado interno de aços planos está se recuperando aos poucos, mas em um ritmo ainda muito lento", afirmou a empresa.

O mercado externo porém, continua mostrando sinais de fraqueza diante da crise econômica internacional que reduziu a demanda por produtos como automóveis, máquinas industriais e edifícios.

As exportações das usinas siderúrgicas brasileiras em maio somaram 538,4 mil toneladas, contra 586,9 mil toneladas em abril. Frente a maio de 2008, as vendas externas das usinas em volume mostraram recuo de 24,8 por cento.

Em termos de importações, o país comprou volume de 217,2 mil toneladas no mês passado contra 136,36 mil toneladas em abril. Nos primeiros cinco meses, as importações somaram 928 mil toneladas, 5,6 por cento acima do mesmo período do ano anterior, fomentadas por intensa competição de produtores internacionais interessados em desovar estoques.

(Por Alberto Alerigi Jr)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG