Venda de veículos em 2009 vai se igualar a 2008, diz Jorge

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse nesta segunda-feira que a venda de veículos no Brasil neste ano vai se igualar a 2008, quando foram comercializadas 2,820 milhões de unidades. O ministro também espera manutenção dos níveis de produção em 3,214 milhões de veículos. A previsão do ministro é melhor do que a da Anfavea, associação que representa as montadoras no país, que calcula que a produção de veículos do Brasil vai cair 11,2 por cento em 2009, para 2,86 milhões de unidades. Em relação às vendas, a associação prevê queda de 3,9 por cento, para 2,71 milhões de unidades.

Reuters |

"Já ganhei duas apostas do Jackson (Schneider, presidente da Anfavea) sobre produção", disse o ministro após participar de evento na Câmara Americana de Comércio (Amcham-SP).

Sobre a prorrogação da redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para o setor automotivo até o final de junho, o ministro disse que o efeito ficou acima do esperado pela Anfavea. Ele recusou-se a responder se o benefício será estendido novamente, mas não descartou essa possibilidade.

"Não tem plano B, trabalhamos sobre o que está acontecendo. Vamos avaliar em 2 a 3 meses o impacto e, se precisar de novas medidas, nós avaliaremos", disse Miguel Jorge ao ser questionado se o governo estuda medidas além da redução do IPI para estimular as vendas.

INVESTIMENTOS

Junto a um público formado sobretudo por representantes do setor de autopeças, o ministro aproveitou para mencionar investimentos de montadoras no país. Ele comentou que uma fabricante de veículos estuda fazer investimentos de 700 milhões de dólares para o desenvolvimento de um novo modelo e afirmou que a Toyota informou ao ministério que retomou construção de nova fábrica no Brasil. O ministro não revelou o nome da primeira montadora.

Em julho passado, a Toyota anunciou que investirá até 700 milhões de dólares em sua segunda fábrica de carros do país, no interior de São Paulo.

O presidente da Ford para Mercosul, Marcos de Oliveira, presente no mesmo evento, afirmou que a empresa mantém investimentos de 3,4 bilhões de reais no Brasil entre 2007 e 2012. Os gastos serão focados em novos produtos e aumento de capacidade produtiva.

Ele afirmou que a empresa projeta que o mercado interno terá vendas de 2,750 milhões de veículos este ano, perto da projeção da Anfavea. "Se a economia melhorar, teremos capacidade de empatar (com 2008)."

Já o vice-presidente da General Motors do Brasil , José Carlos Pinheiro Neto, afirmou que a empresa mantém planos de investir 1 bilhão de dólares no lançamento de 16 produtos entre o final de 2007 e 2012, mas que recursos adicionais de 1 bilhão de dólares que teriam de ser aprovados pela matriz nos Estados Unidos ainda não foram liberados.

"Não vamos pagar dividendos este ano para a corporação em virtude dos investimentos que vamos fazer em novos produtos", disse Pinheiro Neto, acrescentando que a empresa enviou parte do lucro ao exterior em 2008.

(Por Alberto Alerigi Jr.; Edição de Cesar Bianconi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG