Veja quem são os integrantes da comissão de sindicância do Senado

BRASÍLIA - Os três funcionários designados para compor a comissão de sindicância que investiga os atos secretos editados pelo Senado são funcionários de carreira da Casa. A comissão, que foi instalada na última sexta-feira para apurar as denúncias sobre os atos secretos do Senado, terá o prazo de 30 dias para concluir as investigações. Os trabalhos da comissão são acompanhados por um integrante do Ministério Público (MP) e por um auditor do Tribunal de Contas da União (TCU).

Carol Pires, repórter em Brasília |

No boletim administrativo do Senado é possível saber que um dos membros da comissão, a funcionária Maria Amália Figueiredo da Luz, participou, em 2008, da comissão especial que foi encarregada de desenvolver os trabalhos técnicos necessários à realização de Concurso Público para preenchimento de vagas no Senado Federal.

O atual diretor-geral do Senado, Alexandre Gazineo, fez parte desta mesma comissão especial, na função de presidente.  

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o chefe do serviço de publicação do boletim de pessoal do Senado, Franklin Albuquerque Paes Landim, afirmou que Gazineo sabia da edição de atos secretos no Senado. O ex-diretor-geral Agaciel Maia e do ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi também foram apontados por Landim como responsáveis pelos atos.

Outro servidor incumbido da investigação é Gilberto Guerzoni Filho, consultor legislativo. Ele participou, de acordo com boletim publicado pelo Senado, de outra comissão de sindicância aberta pelo Senado, em outubro do ano passado, que apurou matéria publica pelo jornal "O Estado de São Paulo envolvendo o servidor João Carlos Silva Neves da Fontoura.

Fontoura foi acusado de responder um e-mail da assessora de imprensa da Secretaria de Emprego e Relações de Trabalho do Senado que avisava a presença do secretário Guilherme Afif em um debate, com a expressão Foda-se. O funcionário explicou que, no dia, estava nervoso e com pressa, e pediu desculpas. A solução do caso ainda não foi publicada no boletim do Senado, e o servidor também não foi informado sobre o resultado da sindicância.

O servidor Alberto Moreira de Vasconcellos Filho completa o grupo. Ele também é consultor legislativo do Senado.

A Diretoria de Recursos Humanos do Senado não confirmou em quais setores os três servidores estão lotados e quais são suas funções oficiais.

Leia mais sobre: comissão

    Leia tudo sobre: agaciel maiacomissoessenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG