O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o titular da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, ministro Paulo Vannuchi, estão no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, aguardando a chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para uma conversa em que tentarão solucionar a crise causada no governo em torno do decreto que instituiu o 3º Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH-3). O PNDH-3 prevê, entre outras medidas, alterações na Lei de Anistia para permitir punição a agentes do Estado acusados de torturar presos políticos durante o regime militar.

Desse ponto discordam os comandantes das Forças Armadas.

Vannuchi chegou ao CCBB por volta das 18h40, no momento em que o presidente saía para participar de uma solenidade no Centro de Convenções Brasil 21 e assinar documento de repasse de recursos do programa "Minha Casa, Minha Vida" para municípios com menos de 50 mil habitantes.

À chegada de Vannuchi ao CCBB, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que estava saindo com Lula, se deteve por alguns instantes para conversar com o ministro e instruí-lo a aguardar o retorno do presidente. O presidente teria determinado que os dois ministros negociem uma solução de consenso para o problema do dispositivo do PNDH-3 que cria a Comissão da Verdade, encarregada de investigar as torturas durante o regime militar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.