VALE ESTE - Metade dos homens com mais de 50 anos tem aumento benigno da próstata Por Ronaldo Maia* A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB), ou o crescimento benigno da próstata, é considerada uma das causas mais comuns da obstrução do fluxo urinário e de 80% das idas ao urologista. A doença afeta cerca de 50% dos homens com mais de 50 anos e 90% daqueles com mais de 80.

Os sintomas da HPB vão desde a diminuição do jato urinário até a noctúria - necessidade de urinar, duas vezes ou mais, durante a noite. A próstata perde suas dimensões originais, similares às de uma noz, podendo atingir o tamanho de uma laranja grande. Essas e outras alterações, principalmente no hábito da micção, causam desconforto e constrangimento ao paciente, prejudicando sua qualidade de vida e comprometendo as atividades diárias.

As causas da HPB ainda não estão bem definidas, mas podem estar ligadas à oscilação na produção de hormônios masculinos com o avanço da idade. Hoje, com a evolução da medicina, a maioria dos casos pode ser tratada sem necessidade de cirurgia, o que antes era inevitável.

Não há formas de prevenção da doença, mas é fundamental que se faça consulta periódica ao urologista - a partir dos 40 anos, quando há casos de câncer na família, e a partir dos 50, mesmo sem antecedentes. O diagnóstico da Hiperplasia Prostática Benigna é obtido por meio de exame de toque retal, sangue ou ultrassonografia da próstata.

Como formas de tratamento são indicadas drogas da classe dos alfabloqueadores, que atuam relaxando a musculatura, reduzindo a pressão da próstata sobre a uretra e facilitando a micção. Há, hoje, as de dose diária, que interferem minimamente nas demais funções do organismo, diminuindo a probabilidade de efeitos colaterais.

* Ronaldo Maia é urologista responsável técnico do Hospital do Rim e Hipertensão de São Paulo e médico-assistente da Escola Paulista de Medicina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.