Vale adia Onça Puma e suspende atividades em Sudbury

SÃO PAULO (Reuters) - A Vale anunciou nesta quinta-feira medidas para ajustar a sua produção de níquel à demanda, tendo em vista o cenário recessivo global. A companhia decidiu desacelerar a conclusão do projeto de níquel Onça Puma, no Estado do Pará, previamente programado para iniciar operações em janeiro de 2010, com capacidade anual de 58 mil toneladas métricas de níquel em ferro-níquel.

Reuters |

"Dado que uma licença ambiental se encontra pendente, o início do projeto Onça Puma será adiado em, no mínimo, um ano", informou a empresa em comunicado.

A empresa informou ainda que vai paralisar, por um período de oito semanas, de 1o de junho a 27 de julho, as minas e as plantas de beneficiamento de Sudbury, na província de Ontário, Canadá, um dos principais locais de produção de níquel do mundo e responsável por 31 por cento da produção total da Vale.

"Antecedendo a parada, haverá uma manutenção normal planejada nas plantas de Sudbury durante o mês de maio", acrescentou a Vale, não informando, no entanto, se a produção também será suspensa totalmente nesse período.

A companhia brasileira informou também que as plantas de processamento de metais preciosos (subproduto da mineração de níquel de Sudbury) em Port Colborne, Ontário, também vão parar de 1o de junho a 27 de julho.

Esse foi o segundo ajuste na produção de níquel feito pela Vale, seguindo a queda na demanda e no valor do metal.

Em dezembro do ano passado a empresa anunciou o fechamento da mina de níquel Copper Cliff South, também no Canadá.

E no mês passado a Vale informou a demissão de 900 pessoas da sua operação global de níquel.

O valor do metal atingiu pico superior a 50 mil dólares por tonelada em maio de 2007, mas atualmente está cotado em aproximadamente 12 mil dólares por tonelada na bolsa de Londres.

(Por Roberto Samora; edição de Marcelo Teixeira)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG