Valas vão barrar acesso a depósito de entulho no Tietê

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), colocou hoje o pé na lama no esforço de mostrar comprometimento com a causa ambiental. Ao lado do secretário do Meio Ambiente, Xico Graziano, o tucano caminhou em meio ao mato e à lama para interditar um aterro irregular na várzea do Rio Tietê, em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

Agência Estado |

Aproveitou a visita de uma hora à região para cumprimentar e conversar com moradores, que reclamavam das enchentes.

O terreno, uma área pública, estava tomado por toneladas de restos de construções. A partir da interdição, homens da Polícia Militar Ambiental vão vigiar os acessos ao local. Segundo Graziano, em no máximo 10 dias a Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) vai abrir valas para impedir os caminhões de entulho de acessarem a região.

A barreira será feita em todos os acessos a depósitos irregulares ao longo da várzea do Alto Tietê, prometeu o governador. "Vamos interditar tudo. Não basta o policiamento. Se a polícia fica em um lugar, os infratores jogam entulho em outro. Fica um jogo de gato e rato", afirmou Serra em coletiva concedida no alto de um amontoado de terra, tijolos, telhas e madeiras. O barro era tanto que Serra teve de dobrar a barra da calça, mas não escapou de sujar os sapatos e as meias.

De acordo com Serra, terrenos como esse acabam sendo aplainados e, no futuro, dão origem a loteamentos irregulares. A situação ocasiona enchentes, por impermeabilizar uma área que deveria absorver as águas da chuva.

Na próxima terça-feira, o governo deve anunciar um plano de reforço no policiamento da região de várzea, disse Xico Graziano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG