Vaga de secretário-geral abre disputa no Itamaraty

Figura polêmica do governo Luiz Inácio Lula da Silva, o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães deixará o Itamaraty no fim de outubro, quando completa 70 anos, para ocupar uma vaga na Esplanada. Ele se desligará da Secretaria-Geral do Itamaraty, o posto mais elevado da carreira diplomática, e deverá assumir o lugar deixado pelo acadêmico Roberto Mangabeira Unger na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência (SAE).

Agência Estado |

A saída do embaixador do Itamaraty desencadeia uma nova dança das cadeiras.

As apostas para ocupar o lugar de Guimarães giram em torno de três candidatos. Por enquanto, o nome do escolhido não saiu da boca do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que costuma manter suas indicações sob sigilo até o último momento e surpreender. Dentre os três, o veterano é o embaixador Ruy Nogueira, subsecretário-geral de Cooperação e Promoção Comercial, de 66 anos. Os outros dois candidatos conduziram a chefia de gabinete do chanceler do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foram indicados para os dois principais postos da diplomacia no exterior - Antônio Patriota, embaixador em Washington, e Mauro Vieira, embaixador em Buenos Aires.

Recentemente em um almoço em São Paulo, Amorim deixou escapar que, para a sucessão de Guimarães, havia "muita gente jovem". Desde então, as apostas no Itamaraty se concentraram em Patriota, de 55 anos, e Vieira, de 58. A saída de Guimarães decorre de uma regra da carreira: aos 70 anos, o diplomata tem de, compulsoriamente, se aposentar. Restaria a ele a possibilidade de ser indicado como embaixador político por Lula. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG