Vacinação contra a gripe quer imunizar 3,6 milhões de idosos em SP

Quem tem 60 anos ou mais pode se vacinar contra a gripe a partir de amanhã, gratuitamente, nos postos de saúde do Estado de São Paulo. A campanha vai até 8 de maio.

Agência Estado |

No lançamento oficial da campanha ontem, o governador José Serra (PSDB) foi o primeiro a ser vacinado, junto com o garoto-propaganda da campanha, o humorista Dedé Santana, e um grupo de vinte participantes do Centro de Referência do Idoso da zona leste da capital paulista. Serra, de 67 anos, disse que, desde quando passou a tomar a vacina, teve menos gripe. Dedé reforçou o recado: "Eu recomendo. Não precisam ter medo da injeção". O objetivo da campanha é imunizar 3,6 milhões de idosos em todo o Estado.

A campanha nacional de vacinação foi lançada ontem pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão. A meta no País é imunizar 15,5 milhões de idosos. Segundo o ministério, estudos mostram que entre a população acima dos 60 anos, a vacinação reduz em até 45% a hospitalização por pneumonias e até 75% a mortalidade.

Os idosos paulistas podem tomar a vacina em três mil postos ou em duas mil unidades móveis, em locais de grande circulação, como supermercados e estações do metrô. O horário de atendimento vai das 8 às 17 horas, de segunda a sábado. Vai haver vacinação ainda em 1,5 mil asilos e casas de repouso do Estado. Só não devem se vacinar os alérgicos à proteína do ovo. Pessoas com deficiência na produção de anticorpos devem consultar um médico. A campanha oferece também para adultos de qualquer idade vacinas para prevenir tétano, difteria, pneumonia e meningite.

Estudo

Neste ano, pela primeira vez, um grupo de estudantes da rede pública estadual será vacinado. Eles participam de um estudo do Instituto Butantan, órgão produtor das vacinas, para medir a eficácia de oferecer vacinação gratuita a crianças e jovens como forma de prevenir as famílias da doença. Metade do grupo de 4,6 mil estudantes será imunizado contra a gripe. A outra parte servirá de controle e receberá vacinas contra catapora e meningite C. Os pesquisadores acompanharão os alunos por seis meses, comparando os resultados em cada grupo.

Serra e o secretário da Saúde, Luiz Barradas Barata, anunciaram para o segundo semestre deste ano o início dos testes em humanos de uma vacina contra a gripe aviária. Até setembro, o Instituto Butantan produzirá três lotes experimentais da vacina e, após o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), fará o teste em pelo menos 30 voluntários. O presidente do Butantan, Isaías Raw, disse que o Brasil faz parte de um grupo de cinco países que pesquisam a vacina, que seria fundamental no caso de uma pandemia. "Estamos à frente dos outros países, fora o primeiro mundo, que vai fazer, mas não vai dar para ninguém", disse Raw.

Carolina Freitas

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG