Não estranhe se, andando pelas ruas de São Paulo a partir dessa sexta-feira, você der de cara com uma vaca na calçada. Caso isso ocorra, você está participando da CowParade, também conhecida como Circuito das Vacas.

Criado em 1998 pelo artista suíço Walter Knapp, o evento tinha como ideia principal trazer um pouco do campo para a cidade de Zurique, utilizando referências artísticas em vacas modeladas em fibra de vidro - projetadas por seu filho, o artista plástico Pascal Knapp.

Em 2000, a empresa norte-americana CowParade Holdings comprou os direitos das esculturas e transformou a exposição em evento mundial, sendo responsável pela criação de mais de 4 mil vacas em todos os continentes.

São Paulo foi a primeira cidade da América do Sul a receber o Circuito das Vacas, cuja segunda edição paulistana tem início nesta sexta-feira. "O sucesso foi tão grande em 2005 que estava na hora de voltar a São Paulo", afirma Catherine Duvignau, da Toptrends, empresa que organiza o evento no País. Em 2006, as vacas circularam por Belo Horizonte e Curitiba. Em 2007, foi a vez do Rio de Janeiro. Em todas as edições, as vacas são produzidas por artistas locais. Não há duas CowParade iguais.

Guss de Lucca

O rebanho da CowParade só aumenta no galpão do evento

Conversando direto do galpão onde as últimas vacas são finalizadas, ela apontou o cotidiano como grande inspiração dos artistas paulistanos, citando como exemplo as vacas Cicowvia, de Laura Sobral, e Cowleta Seletiva, de Myriam Zini.

"Trânsito, cidadania, jogar o lixo no lugar certo para que as ruas não sejam inundadas... A cidade inspira os artistas", explica.

Duas vacas em especial chamam a atenção por refletir problemas comuns aos paulistanos. Cowgestionamento, da artista plástica Patrícia Nascimento, dialoga diretamente com o trânsito caótico da metrópole, tendo seu corpo revestido por quase 5 mil carrinhos.

"A minha vaca não é esteticamente agradável, mas ficou bem interessante. Quem a vê de longe acha que é algum tipo de textura", conta a autora, que demorou duas semanas para concretizar seu trabalho.

Guss de Lucca

Patrícia Nascimento ao lado da sua vaca Cowgestionamento

"Além de pesquisar até encontrar a cola certa, tive que encomendar os carrinhos direto da fábrica. Eles não entenderam para que eu usaria os 5 mil carrinhos, e dizer que ia fazer uma vaca não ajudou", contou, animada.

Uma cowvardia

Ao contrário da Cowgestionamento, cuja intenção de alertar para o problema dos carros foi proposital, a Vaca de Sampa, criada pelo designer Rique Pereira, acabou ganhando uma conotação ligada à violência do centro urbano.

Isso ocorreu não por conta de seu corpo avermelhado e cheio de ilustrações, mas por causa do incidente que o artista de 22 anos sofreu em 21 de dezembro, quando foi atingido com um taco de beisebol enquanto passeava por uma das unidades da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, região central de São Paulo.

Mas nem só de assuntos sérios vive a CowParade. O bom humor, marca registrada do projeto, ganha ótimas representantes, como a Micowjackson, que brinca com o Rei do Pop, e a Do Pasto à Passarela, sem dúvida a mais elegante desta edição.

O Circuito das Vacas, com no mínimo 90 exemplares, acontece de 22 de janeiro a 21 de março. Depois de retiradas, as esculturas serão leiloadas e a renda obtida encaminhada para obras sociais, como a Fundação Gol de Letra.

De acordo com Catherine, os lances iniciais são de R$ 5 mil e cada vaca é vendida por R$ 20 mil em média. "Para nossa surpresa, no leilão de 2005 faltou vaca, então essa é a chance de quem não conseguiu comprar a sua", revela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.