Tamanho do texto

Cientistas da Universidade de São Paulo (USP) produziram em laboratório duas proteínas recombinantes que poderão ser usadas para formular novo biofármaco para tratamento de fraturas ósseas. Segundo a Agência Fapesp, as proteínas BMP2 e BMP 7, produzidas no Núcleo de Terapia Celular e Molecular (Nucel) da USP, estimulam a formação de tecido ósseo em reparos em ortopedia e odontologia.

Segundo a coordenadora do Nucel e da pesquisa, professora Mari Cleide Sogayar, foram quase seis anos de pesquisa para chegar às duas proteínas recombinantes. A professora disse à Agência Fapesp que o trabalho deve levar em poucos anos à formulação de medicamento para reparos de fraturas e traumas ósseos decorrentes de osteoporose ou implantes dentários, por exemplo. Atualmente os cientistas estão aperfeiçoando a produção das proteínas em maior quantidade.

A pesquisadora acredita que o medicamento pode chegar ao mercado em até cinco anos. "Estamos em processo de aperfeiçoamento das células superprodutoras. Em seguida, vamos iniciar a transferência de tecnologia para uma empresa farmacêutica nacional que já demonstrou interesse em produzir o biofármaco", afirmou à Agência Fapesp.

Existem medicamentos semelhantes em clínicas odontológicas e ortopédicas no Brasil, mas são produtos importados e de alto custo.

AE