MONTEVIDÉU ¿ Centenas de uruguaios compareceram hoje ao Panteão Nacional do cemitério central de Montevidéu para se despedirem do poeta Mario Benedetti, que faleceu no último domingo aos 88 anos.

A multidão acompanhou o cortejo fúnebre do Palácio Legislativo, onde o corpo de Benedetti estava sendo velado, e homenageou o escritor com longos aplausos.

"Vim me despedir dele. Sua obra e sua personalidade sempre me motivaram. Mario representou principalmente para mim a luta e a resistência social dos uruguaios", disse à ANSA a comerciante Susana que, como muitos habitantes de Montevidéu, quis fazer uma última homenagem ao poeta.

Ontem, diversas autoridades e personalidades do Uruguai, como o presidente Tabaré Vázquez, visitaram o Palácio Legislativo para dar adeus a Benedetti. "Homens como Mario nunca morrem", disse ontem o mandatário, ao falar sobre o escritor, que participou da criação da coligação de esquerda Frente Ampla, que atualmente governa o país.

Benedetti, que faleceu no último domingo, sofria de problemas respiratórios e uma doença intestinal crônica. Nos últimos dois anos, seu estado de saúde estava extremamente delicado. Sua última aparição pública foi em dezembro de 2007, quando foi homenageado pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em um ato na capital uruguaia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.