Universidade nega existência de césio em equipamento

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) informou, por meio de nota enviada no fim desta tarde, que o equipamento que motivou a operação do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária no Campus do Centro Politécnico nesta manhã, não continha o elemento radioativo césio 137. O equipamento em questão é um cintilador líquido, da marca Beckman, que faz a medição de amostras radioativas de baixa intensidade.

Agência Estado |

Mede a radioatividade de elementos como fósforo, iodo e carbono", explica a nota.

Ainda segundo a UFPR, o equipamento continha uma cápsula de césio 137, mas ela foi retirada no dia 3 de fevereiro pelo técnico Jairo Lima, da empresa Esalab Importação, Exportação e Comércio, responsável pela distribuição dos produtos e serviços da Beckman Coulter no Brasil. De acordo com a universidade, a cápsula era "de baixa intensidade, sem risco para a saúde". A nota afirmou que o isolamento foi motivado apenas pelo invólucro onde estava a cápsula.

"A cápsula removida encontra-se lacrada num invólucro de chumbo, guardada temporariamente no Setor de Ciências Biológicas da universidade, até ser remanejada para uma unidade de armazenamento em São Paulo, autorizada pela Comissão Nacional de Energia Nuclear, após a tramitação da documentação necessária, onde ficará em definitivo", disse a UFPR.

A entidade ressaltou, ainda, que não há perigo para a população.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG