Universalização do saneamento no Brasil pode levar 66 anos, diz jornal

Um estudo do Ministério das Cidades mostra que, mesmo com todos os recursos reservados para projetos de saneamento básico, se o atual ritmo de investimentos se manter o Brasil levará 66 anos para ter um serviço universal de coleta de esgoto. As informações são do jornal ¿O Globo¿.

iG São Paulo |


De acordo com a reportagem, apenas 42% dos brasileiros são atendidos. Além disso, nos últimos dois anos o governo só conseguiu executar 11% dos R$ 12,6 bilhões reservados no Orçamento da União para programas de saneamento básico urbano e rural.

No segundo mandato do presidente Lula, os recursos para o setor triplicaram, mas apenas uma pequena parte foi usada. Se acordo com Sérgio Gonçalves, diretor de Articulação do ministério, o PAC identificou uma falta de planejamento no setor.

Por isso, segundo o jornal, às vésperas das eleições de 2010 o governo pretende lançar o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), com novas metas e investimentos para a área.

Palavrão

Na quinta-feira, Lula causou polêmica ao usar um palavrão durante cerimônia de assinaturas de contratos do programa federal Minha Casa Minha Vida.

Ao destacar que o governo federal está fazendo investimentos expressivos em saneamento básico, Lula soltou: "Não quero saber se o João Castelo (prefeito de São Luís) é do PSDB, se outro é do PFL (atual DEM) e não quero saber se é do PT. Eu quero saber se o povo está na merda. Eu quero tirar o povo da merda em que ele se encontra", disse.

Ao ressaltar os investimentos da sua gestão em saneamento básico, Lula alfinetou o seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso (PSDB). "O que nós estamos investindo no Maranhão neste ano e até 2010 em saneamento é mais do que tudo que o governo anterior investiu no Brasil inteiro", disse.

Leia mais sobre Lula

    Leia tudo sobre: saneamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG