Unifesp: funcionários de creches precisam de treinamento em saúde

SÃO PAULO - Funcionários de creches precisam de treinamento voltado à saúde e aos cuidados com a alimentação de crianças, principalmente na faixa etária de 0 a 2 anos. É o que mostram resultados iniciais de um estudo desenvolvido por equipe ligada à disciplina de nutrologia do curso de pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Agência Estado |

No projeto CrechEficiente, os pesquisadores aplicaram, no início de 2007, uma avaliação com questões básicas sobre alimentação e saúde para 218 funcionários de oito creches públicas da capital paulista, sendo 62 educadores. A média girou em torno de 6 em escala de 0 a 10.

Após o diagnóstico, a Unifesp ofereceu treinamento de 40 horas para funcionários de quatro das oito creches. Depois, nova avaliação foi aplicada nas oito instituições. As submetidas ao treinamento tiveram melhorias significativas não só na média como também nos hábitos.

Segundo pediatra Túlio Konstantyner, um dos coordenadores do projeto, falta recurso humano nas creches, não só de forma quantitativa. Tanto crecheiras antigas quanto as educadoras mais novas, formadas recentemente e sem experiência, são suscetíveis ao treino. "A gente vê uma educadora de berçário cuidando de sete crianças, o que é difícil. E às vezes a gente via até mais de sete", diz ele.

No entanto, para o pediatra, chamou atenção a falta de higiene durante a avaliação feita. "Na saúde, sabemos que o principal veículo de transmissão de doenças é a mão, e muitas das educadoras não têm o costume de lavar a mão quando trocam uma fralda, por exemplo. Elas alegam que não dá tempo." Konstantyner revela que uma análise microbiológica, de material coletado da mão dos educadores, indicou coliformes fecais altos.

Melhorias

A avaliação sobre temas básicos de saúde e nutrição para leigos apontou nota baixa para os educadores. "Após o treino, melhoraram duas a três vezes mais do que as que não foram treinadas em questões como introdução de novos alimentos, forma de preparo e armazenamento." Para o pediatra o profissional de saúde faz falta, mas equipe de creche bem treinada, com o básico de saúde e nutrição, talvez possa suprir essa falta."

Para ajudar a suprir essa falta, a equipe do projeto Ações de Segurança e Educação Alimentar em Creches Públicas e Filantrópicas da Unifesp decidiu elaborar o Manual CrechEficiente, da Editora Manole. Entre as orientações sobre saúde e nutrição, o manual traz as condições mínimas de funcionamento das creches, além de abordar sinais e sintomas de doenças e outras questões.

    Leia tudo sobre: creche

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG