Unicef adota programa paulista que livra bebês do HIV

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) vai adotar um programa desenvolvido em Sorocaba, no interior de São Paulo, para evitar a transmissão do vírus HIV de gestantes para seus bebês. De 2003 a 2007 o programa Transmissão Vertical Zero atendeu 28.

Agência Estado |

188 mulheres grávidas e, destas, 54 eram portadoras do vírus quando deram à luz. Todos os bebês das gestantes contaminadas nasceram sem o vírus - foi o que chamou a atenção das Nações Unidas e levou a Unicef a escolher o programa.

De acordo com as estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS), se as gestantes não tivessem recebido o tratamento adequado, pelo menos 16 bebês teriam sido contaminados e nasceriam com o vírus. O programa, desenvolvido há dez anos na cidade, foi indicado à Unicef pelo Ministério da Saúde e vai figurar entre as iniciativas voltadas à saúde da criança que deram certo em todo o mundo. A publicação deve ocorrer este mês.

As gestantes inscritas nos 29 centros de saúde da cidade são submetidas ao teste de detecção do HIV durante o pré-natal. Os exames são feitos no primeiro e no terceiro trimestres da gravidez. Se o resultado for positivo, elas passam a receber atendimento especial. O tratamento inclui medicação durante toda a gravidez.

Para evitar a contaminação durante o parto, as mães são submetidas à cesariana em maternidade de referência. A mãe e o bebê são medicados ainda na maternidade. A criança é alimentada com leite artificial, já que não pode ser amamentada pela mãe. Também recebe medicação preventiva via oral durante as seis primeiras semanas de vida. O recém-nascido continua sob acompanhamento médico durante 18 meses, prazo em que a presença do vírus ainda poderia ser detectada. Só então é considerado saudável.

Na publicação da Unicef, será relatado o caso de Luciane Aparecida Conceição, a primeira criança brasileira a ser tratada com o coquetel anti-HIV, depois de ter sido contaminada durante o parto - a mãe contraíra o vírus numa transfusão de sangue. Luciane, hoje com 20 anos, engravidou no ano passado e foi incluída no programa. Em janeiro deste ano, deu à luz à menina Vitória e a criança nasceu completamente saudável.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG