Unicamp: bactéria que causa úlcera atinge mais criança de baixa renda

Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) comprovaram que a infecção pela bactéria Helicobacter pylori , que causa gastrite, úlcera e até câncer gástrico, está associada à condição socioeconômica da população. De acordo com informações da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (http://www.

Agência Estado |

agencia.fapesp.br/materia/10057/especiais/bacteria-social.htm" target=_blank Fapesp ), o estudo apontou que a bactéria atinge 47% das crianças de baixa renda, enquanto que nas família com maior renda a prevalência é de 3%.

O coordenador da pesquisa, o professor José Murilo Robilotta Zeitune, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas, conta que cerca de 50% da população mundial é afetada pela Helicobacter pylori , com maior número de ocorrência nos países em desenvolvimento. O trabalho, realizado no Laboratório de Bacteriologia do Gastrocentro da universidade, verificou a infecção pela bactéria em 218 crianças de até 6 anos de idade pertencentes a famílias de todas as rendas.

Nas crianças de média renda a prevalência da bactéria foi de 13,5%. O estudo apontou ainda que 16,7% das crianças de famílias de baixa renda foram infectadas nos primeiros meses de vida, 20% das de renda média foram infectadas a partir do primeiro ano de vida, enquanto 18,1% das crianças de alta renda foram infectadas apenas a partir do terceiro ano de vida. Zeitune afirma que, apesar de a renda familiar estar diretamente associada à bactéria, fatores como higiene e saneamento básico também estão relacionados à aquisição da infecção.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG