União anuncia indenização a camponeses do Araguaia

A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça anuncia hoje, em São Domingos do Araguaia, no Para, a conclusão de 91 processos de anistia política e pedidos de indenização em favor de camponeses perseguidos pelo Exército durante a repressão à guerrilha do Araguaia (1972-1975). São pessoas que não participaram dos combates, mas foram perseguidas pelo Estado e que tiveram de esperar décadas para serem reparadas.

Agência Estado |

Sem vínculos com a guerrilha ou o Exército, muitas famílias de camponeses perderam terras e filhos e hoje cobram uma indenização.

A comissão levou dois anos para investigar os 91 casos. Durante o período, foram duas visitas à região e 287 depoimentos colhidos para concluir os processos. O ministro da Justiça, Tarso Genro, e o presidente da comissão, Paulo Abrão, farão o anúncio das indenizações em ato público na abertura da 24ª Caravana da Anistia. Até agora, 14 guerrilheiros e um camponês foram anistiados. Os pedidos de outros dois camponeses foram negados. Os dois recorreram e aguardam o julgamento do recurso. Com a conclusão desses 91 processos, restarão 191 para serem julgados pela Comissão de Anistia.

Além de anunciar o resultado dos processos, a comissão ouvirá os depoimentos de mais 90 camponeses que servirão para elucidar os casos restantes. Os relatos serão depois cruzados com documentos da Comissão de Direitos Humanos da Câmara e do Ministério Público (MP) e com registros bibliográficos sobre a guerrilha. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG