Unger: proposta de criar de força florestal é prematura

O ministro do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Mangabeira Unger, considera prematura a proposta do futuro ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, de criar uma Força Nacional para vigiar a Floresta Amazônica. Esse não é o momento para definições prematuras, disse Mangabeira, depois de participar hoje, na Câmara dos Deputados, de um debate sobre o Plano Amazônia Sustentável (PAS), do qual é o coordenador.

Agência Estado |

A primeira proposta de Carlos Minc, assim que foi chamado para o ministério, foi a de utilizar o Exército como guarda das florestas da Amazônia. Mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva rejeitou a idéia. E sugeriu a Minc que pensasse na criação de uma Guarda Nacional, semelhante à Força Nacional de Segurança, força federal de elite que atua somente em questões excepcionais. Mangabeira, no entanto, não se mostrou a favor nem desta última iniciativa.

Para ele, não deve ser uma pessoa a decidir os planos para a Amazônia, mas um conjunto. "Não sou eu que vou definir o plano de desenvolvimento da Amazônia. Insisto, esta é uma obra coletiva. Minha tarefa é ajudar a coordenar um trabalho de equipe, numa lógica de co-autoria dentro do governo, dentro da Amazônia e dentro da Nação", disse o ministro. Ele afirmou que ainda não conversou com Carlos Minc, com o qual deverá trabalhar em parceria nas questões amazônicas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG