Unesp terá maior rede de computação da América Latina

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) espera inaugurar no segundo semestre a maior rede integrada de computação da América Latina, com capacidade de processamento de 33,3 trilhões de cálculos por segundo (teraflops). O sistema será formado por um cluster central de 256 máquinas, instaladas em São Paulo, mais sete centrais secundárias de 16 máquinas cada uma espalhadas pelos câmpus da instituição no interior do Estado.

Agência Estado |

O contrato de R$ 3,1 milhões com a americana Sun Microsystems para o fornecimentos das máquinas foi fechado na semana passada. O custo total do projeto, de R$ 4,4 milhões, foi aprovado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Uma vez instalados e conectados, os 368 computadores da rede funcionarão como uma única grande máquina, que os pesquisadores autorizados poderão acessar remotamente para fazer operações computacionais de grande escala. Assim como usuários “domésticos” precisam de computadores melhores para baixar vídeos da internet, guardar fotos digitais e montar apresentações, os cientistas precisam de máquinas maiores e mais velozes para fazer suas pesquisas - especialmente em áreas como física de partículas, genômica e meteorologia, que trabalham com quantidades gigantescas de dados.

Segundo o coordenador do programa, Sérgio Novaes, a rede permitirá não só acelerar projetos já existentes como inaugurar novas linhas de pesquisa que hoje não são viáveis por falta de infra-estrutura computacional. “Hoje cada grupo de pesquisa está restrito à capacidade do seu próprio laboratório, e a escolha de projetos é restrita às ferramentas disponíveis”, explica Novaes, professor do Instituto de Física Teórica da Unesp. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG