Unesco: 45 idiomas indígenas podem sumir no Brasil

O Brasil é o terceiro país com o maior número de línguas ameaçadas de extinção, de acordo com o Atlas Interativo de Línguas em Perigo no Mundo, documento organizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e com a versão 2009 já acessível no http://www.brasilia.

Agência Estado |

unesco.org" target=_blank site da instituição. Das 2,5 mil línguas com probabilidade de desaparecerem até o final deste século, 190 são faladas por tribos indígenas no País e 45 delas foram incluídas no grupo de maior risco - como a língua mauaiana, falada por dez indígenas numa região próxima à Guiana, ou a kaixána, preservada por apenas um brasileiro no Estado do Amazonas.

O Atlas indica ainda que as regiões da América do Norte, América Latina e Ásia concentram o maior número de idiomas em perigo. No topo do ranking de nações com línguas ameaçadas está a Índia, seguida por Estados Unidos, Brasil, Indonésia, México e China. Foram constatados 196 idiomas ameaçados no país emergente asiático, a maior parte deles em etnias cada vez mais incorporadas à sociedade.

Na avaliação da subdiretora geral da Unesco, Françoise Rivière, "as regiões de maior diversidade cultural apresentam maior ameaça à sobrevivência de idiomas minoritários". Segundo a Unesco, das 6,7 mil línguas faladas no mundo, 200 desapareceram nos últimos cem anos, 538 estão em perigo de extinção e 199 são faladas por menos de dez pessoas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG