UNE e Tortura Nunca Mais protestam contra Clube Militar

Um grupo de cerca de 15 manifestantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e do Tortura Nunca Mais fez hoje um protesto diante do prédio do Clube Militar, onde foi realizado um seminário sobre Lei da Anistia, em reação às declarações dos ministros da Justiça, Tarso Genro, e da secretaria de direitos humanos, Paulo Vannuchi, de que a tortura durante o período militar deveria ser punida. Os manifestantes gritavam palavras de ordem munidos de faixas contra a tortura durante o seminário.

Agência Estado |

Um deles, Valdomiro Batista, do grupo Tortura Nunca Mais de Goiás, perdeu o irmão, Marco Antônio Dias Batista durante o período militar. No começo da noite, os manifestantes aguardavam o coronel reformado do Exército Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de ter torturado naquela época, mas até então ele não havia saído do prédio. Durante o seminário, Ustra não quis dar declarações à imprensa. O coronel, porém, já pode ter deixado o local por outra saída, sem passar pelo protesto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG