Um terço dos fumantes do mundo está na China, e o vício é um dos principais responsáveis pelo aumento de mortes por doenças vasculares, doenças pulmonares obstrutivas e câncer no país. O alerta vem de estudo publicado na The Lancet e divulgado pela Agência Fapesp.

O artigo, escrito por Gonghuan Yang, do Centro de Prevenção e Controle de Doenças da China, e colegas, indica que a batalha contra doenças crônicas é um dos maiores problemas no país asiático e deve piorar no futuro.

Segundo a Agência Fapesp, o estudo aponta como maiores responsáveis por doenças crônicas o excesso de gordura, sal e fumo e a falta de atividade física. A expectativa de vida do chinês, que entre 1950 e 1990 melhorou consideravelmente, parou de aumentar na década passada por causa de doenças crônicas.

Mortes por doenças vasculares, doenças pulmonares obstrutivas e câncer, por exemplo, aumentaram drasticamente, explica a Agência Fapesp. Enquanto em 1973 as doenças crônicas correspondiam a 47,1% do total de óbitos, em 2005 passaram para 74,1% das causas de mortes.

Sobre o fumo, os pesquisadores indicam que apenas 5% das mulheres têm o vício, mas 60% dos homens fumam. A perspectiva do grupo é que 100 milhões de chineses morram entre 2000 e 2050 de causas ligadas ao tabaco.

Gordura

A dieta dos chineses que moram em centros urbanos teve incremento de 25% de gordura entre 1982 e 2002, aponta o estudo. Já o aumento nas áreas rurais chega a 100%. Também aumentou o consumo de carne, e diminuiu o de cereais. Os novos hábitos, dizem os pesquisadores, elevou riscos de doenças cardiovasculares e de câncer.

O elevado consumo de sal, com mais de 12 gramas ao dia, é o principal responsável pelos casos de hipertensão no país. São cerca de 177 milhões de adultos, e 18% de todos os homens, com a doença. A obesidade também aumentou em 20 anos, levando a níveis de atividade física menores, segundo os pesquisadores.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.