BRASÍLIA - Um em cada quatro deputados pré-candidatos a prefeito responde a algum tipo de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF). Dos http://congressoemfoco.ig.com.br/Noticia.aspx?id=21987114 parlamentares que pretendem disputar as eleições de outubro, 29 têm pendências judiciais na principal corte do país, onde tramitam os processos contra deputados e senadores.

O levantamento feito pelo Congresso em Foco ( leia a íntegra ) traz 13 ex-prefeitos e um ex-vice-prefeito entre os deputados que tentam voltar às prefeituras ainda com julgamento pendente no Supremo. 

As acusações envolvem pelo menos 12 tipos penais. Outros dois casos têm sua natureza preservada pelo Supremo. As denúncias de crime contra a administração pública, como peculato e corrupção passiva, são as que mais se repetem: 13 vezes.

Na seqüência, aparecem os crimes de responsabilidade (11), cuja condenação pode resultar na perda do mandato do parlamentar, contra a fé pública, praticados por funcionários públicos e os eleitorais, como compra de votos. Também há acusação de crime contra o planejamento familiar e até de furto qualificado e estelionato ( saiba mais sobre esses tipos penais ).

Leia tudo no Congresso em Foco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.