Um pomar para chamar de seu

Um pomar para chamar de seu Por Fernanda Yoneya São Paulo, 10 (AE) - Com o objetivo de estimular qualquer cidadão - produtor rural ou não - a plantar uma árvore frutífera no sítio, na chácara ou até mesmo no quintal de casa, a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), de São Paulo, por meio do Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes (DSMM), lançou, há um mês, a campanha estadual ‘Tenha mais frutas no seu quintal’. A proposta, segundo o engenheiro agrônomo Victor Branco de Araujo, diretor do Centro de Produção de Mudas da Cati, é aproveitar qualquer espaço, em área urbana ou rural, para plantar uma espécie frutífera e, consequentemente, melhorar a qualidade da alimentação da população, aumentando e facilitando a oferta de frutas em casa.

Agência Estado |

"Em vez de carpir um terreno e deixá-lo vazio, pode-se cultivar uma fruta e aproveitá-la para consumo próprio. É uma facilidade ter um pé de fruta no quintal. A dona de casa faz um suco na hora, prepara um doce, faz uma geleia", diz o engenheiro agrônomo da Cati, Armando Portas.

Participam da campanha 21 unidades de produção de mudas da Cati em todo o Estado de São Paulo, que funcionam como pontos de venda. As mudas custam a partir de R$ 2 cada. "A intenção é que as pessoas plantem uma árvore; as mudas podem ser adquiridas em qualquer viveiro, não necessariamente nas nossas unidades", afirma o engenheiro agrônomo Armando Portas.

GARANTIA DE ORIGEM
A vantagem de adquirir mudas frutíferas nos núcleos de produção da Cati, porém, é a garantia de qualidade dos materiais. "As mudas produzidas nas unidades têm origem genética controlada e obedecem às exigências legais do ponto de vista sanitário. Se houver qualquer tipo de problema, a muda tem garantia", diz Portas. Além de obter mudas com a sanidade em dia, nos viveiros da Cati o comprador sabe exatamente o que está comprando. "Não existe risco de levar uma variedade por outra, como costuma acontecer em locais que não dão garantia do produto", fala o agrônomo.

OPÇÕES
Entre as opções de mudas disponíveis há espécies comerciais - citros, caqui, banana, lichia, figo, ameixa, pêssego, uva niagara, atemoia, castanha portuguesa, nectarina, goiaba, carambola - e frutíferas silvestres normalmente consumidas in natura, sucos ou compotas - abiu, amora, cabeludinha, jambo, seriguela, tamarindo, cambuci, pitanga, grumixama, acerola, jabuticaba. "As espécies que não servem para consumo humano atraem pássaros", diz o agrônomo Portas. Os núcleos também produzem e comercializam mudas florestais de espécies nativas da Mata Atlântica, como ipê, araucária, angico, jacarandá e pau-ferro.

Nos postos de venda é possível se informar com o agrônomo ou técnico local sobre como plantar e cuidar da árvore. O setor de extensão rural da Cati também elaborou material sobre o aproveitamento das frutas em sucos, doces e geleias.

INFORMAÇÕES:
Site: www.cati.sp.gov.br/dsmm;
tel.

0300 10 10 510

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG