Um morto em nova operação do Bope em favelas do Rio

RIO DE JANEIRO - Um homem morreu durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no conjunto de favelas do Morro de São Carlos, no bairro do Estácio, área central do Rio, nesta quarta-feira.

Redação |

  • PM apreende 38 pedras de crack e 44 sacolés de cocaína no Rio
  • Governo do Rio receberá 55 milhões para operações policiais
  • PM apreende mais de 2 mil pedras de crack

    De acordo com a PM, Bruno Mathias, conhecido como Risadinha, de 21 anos, é suspeito de ter ligações com o tráfico de drogas na localidade. Ele foi baleado em troca de tiros com a polícia, não resistiu aos ferimentos e morreu.

    A operação, que tinha o objetivo reprimir o tráfico de drogas e cumprir mandados de prisão, apreendeu uma pistola calibre 765, um radiotransmissor e munição.

    Os policiais revistaram algumas casas usando um equipamento de GPS. Três veículos blindados e um helicóptero participaram da incursão. Nesta quarta-feira, 172 quilos de cocaína foram apreendidos no Morro de São Carlos.

    172 kg de cocaína, munição e armas

    AE
    Cocaína apreendida em Morro da Mineira
    Nesta quarta-feira, 150 soldados do Bope e homens do 1º BPM (Estácio) apreenderam a maior quantidade de cocaína do ano - 172 quilos, 541 cartuchos de fuzil 762, 886 munições de fuzil 556, um revólver 38 e uma pistola. Durante a ação, houve intensa troca de tiros e dois homens, suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas, foram baleados e morreram no acesso ao Morro do Fogueteiro.

    Dos 172 quilos da cocaína apreendida, 136 estavam prontos para o consumo, 30 quilos eram da droga pura e outros dois era de pasta-base de coca, que triplicam de quantidade quando transformados em cocaína.

    Ao todo, a operação contou com a participação de 150 homens do BOPE, soldados do 1º BPM (Estácio), quatro veículos blindados e três helicópteros do Grupamento Aero-Marítimo (GAM). Essa foi a maior apreensão de cocaína da administração do secretário de Estado de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame.

    O serviço de investigação apontou o local e contou com colaboração da comunidade. Assim, ajudando a polícia, a população terá sempre bons resultados como essa operação afirmou Beltrame, durante a apresentação do material, no Batalhão de Policiamento de Choque (BPChq). Ele informou que o tráfico levou um grande golpe e que o prejuízo estimado dos criminosos é de R$ 1 milhão.

    Ação não foi para recuperar armas dos seguranças de governador

    O governador Sérgio Cabral disse, nesta quarta-feira, em entrevista à rádio CBN, que a operação no Morro de São Carlos não foi para recuperar as armas ¿ duas pistolas e um fuzil - dos três seguranças dos seus filhos, assaltados nesta terça-feira, nas Laranjeiras, zona Sul da capital.

    O que ocorreu foi tipicamente um ataque que visava as armas. Estamos numa luta incessante de combate ao crime organizado, que passa por apreensão de armas e de drogas. Estamos enfraquecendo o crime organizado, afirmou Cabral. A 9ª DP (Catete) investiga o caso.

    Leia mais sobre: tráfico

    • Leia tudo sobre: tráfico

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG