Um lugar para a criançada na hora das compras

Um lugar para a criançada na hora das compras Por Juliana Portugal São Paulo, 11 (AE) - Empresários investem em área dentro de suas lojas voltada para os pequenos, com atividades como oficinas culturais, serviço de monitoria e a presença de contadores de histórias, enquanto os pais fazem compras. Diante da dificuldade que tinha em fazer compras com os filhos, a empresária Gislaine Nakamura decidiu implantar no próprio negócio, a loja de moda infantil Mil Kon Tos, localizada no bairro de Moema, zona sul da capital paulista, um espaço para que as crianças pudessem ficar, enquanto os pais fizessem compras no local.

Agência Estado |

A loja foi toda planejada e construída com a idéia de oferecer esse espaço. Há monitores e atividades educativas. Com capacidade para até 20 crianças, o espaço recebe um público que vai dos 2 anos aos 14 anos. "O serviço é nosso diferencial, mas não cobramos a mais em nossos produtos por causa dele", diz Gislaine.

De acordo com ela, o investimento foi relativamente alto. "O resultado final talvez tenha sido maior que a expectativa das mães e dos filhos." Tanto é, que, segundo diz a empresária, é muito comum as crianças não quererem ir embora do lugar. Para Gislaine, com um visão otimista, o retorno dessa empreitada virá em dois anos.

Para o coordenador dos cursos de Marketing da pós-graduação da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), Richard Vinic, a idéia de que os estabelecimentos tenham uma área voltada para as crianças, com atividades interessantes, pode sim tornar-se tendência. "O maior objetivo é que o filho seja um acompanhante e não um "atrapalhante."

Segundo ele, a atenção aos filhos dos clientes se justifica porque cada vez mais eles são influenciadores e até decidem o que levar. "Qualquer que seja o segmento, tem de haver um espaço para as crianças, pois elas se cansam rápido e podem até abreviar o momento da compra." A explicação dele para a vantagem da área é que uma venda perdida não será recuperada: "Se os pais forem embora por causa do filho, dificilmente voltarão."

Todavia, Vinic alerta que se o empresário oferecer o serviço é necessário que haja qualidade. "A intenção dos espaços é encantar as crianças, ao mesmo tempo em que deixam os pais tranqüilos para comprar."

O professor de Marketing da ESPM Gilberto Cavicchioli completa que a área deve apresentar todas as condições para que os pais se sintam seguros a ponto de deixar os filhos. Segundo ele, além das lojas infantis, lojas de departamento e de eletrodomésticos também poderiam investir na novidade.

EXPANSÃO
Há um ano e meio, a empresária Verônica Wright e sua sócia Alessandra Engel abriram a Piks, um espaço no Shopping Iguatemi, no bairro do Itaim Paulista, na zona sul da cidade, com oficinas de arte, culinária, contadores de histórias, entre outras atividades. O espaço também organiza festas para a criançada, tanto no shopping como nas residências.

"Os pais podem deixar os filhos e comprar tranqüilamente pelo shopping", diz Verônica. O preço para as crianças permanecerem lá varia entre R$ 20 e R$ 30, com diversas atividades espalhadas em 250 m². Para o ano que vem, o plano das sócias é expandir o negócio, mantendo o mesmo formato, para outras localidades.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG