Tamanho do texto

Um em cada dez pacientes com câncer em tratamento no Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (Icesp) tem menos de 30 anos. O número chamou a atenção dos especialistas do instituto.

Inaugurada há um ano, a unidade não possui ala pediátrica e atende pessoas, em média, a partir dos 18 anos.

“Esse número (de adolescentes e jovens adultos) nos surpreendeu porque o câncer é uma doença que atinge, principalmente, os mais velhos e aparece a partir dos 50 anos de idade”, diz o diretor do Icesp, Giovanni Guido Cerri. Segundo ele, o mais comum é esses jovens apresentarem câncer no sangue (leucemia e linfoma). Porém, ainda não há dados para comparação, já que esse é o primeiro levantamento feito.

Apontados como grandes vilões da saúde humana, o cigarro e as bebidas alcoólicas são consumidos por 23% dos 14,6 mil portadores de câncer que já passaram pelo instituto desde maio de 2008 - a maioria, homens. O tabaco e o álcool são substâncias tóxicas. Uma vez misturados à corrente sanguínea, podem provocar alterações nas células e, com isso, contribuir com o aparecimento de tumores.

O número de mulheres que bebem e fumam é até cinco vezes menor que o de homens, de acordo com Cerri. Mas elas respondem por 60% do total de internações e por 66% dos atendimentos ambulatoriais. “As mulheres vivem mais que os homens e, por isso, estão mais sujeitas a terem a doença”, explica o diretor. “Nas próximas décadas”, estima Cerri, “o câncer deverá se tornar a principal causa de morte, justamente porque a população está vivendo mais.” As informações são do Jornal da Tarde.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.