Festival do Rio 2008, o primeiro de 350 filmes programados, até 09 de outubro, em 24 salas exibidoras." / Festival do Rio 2008, o primeiro de 350 filmes programados, até 09 de outubro, em 24 salas exibidoras." /

¿Última Parada 174¿ abre maratona de 350 filmes do Festival do Rio

RIO DE JANEIRO ¿ A capital carioca será palco, a partir desta quinta-feira (25), da habitual maratona cinematográfica que toma conta da cidade no segundo semestre. ¿Última Parada 174¿, de Bruno Barreto, representante brasileiro no Oscar, vai ser exibido nesta quinta na sessão de abertura do http://www.festivaldorio.com.br/ target=_blankFestival do Rio 2008, o primeiro de 350 filmes programados, até 09 de outubro, em 24 salas exibidoras.

Marco Tomazzoni |

Acordo Ortográfico

O desafio dos organizadores nesta edição é tentar superar o recorde de público do ano passado, que alcançou 300 mil espectadores. Para tanto, a comissão de seleção voltou a investir em filmes com apelo popular, como os esperados Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen, encontro nas telas de Scarlett Johansson e Penélope Cruz, vértices de um triângulo amoroso; e Queime Depois de Ler, novo filme dos irmãos Coen, com Brad Pitt e George Clooney no elenco principal.

Cruz, Bardem e Johansson são triângulo de "Vicky Cristina Barcelona" / Divulgação

Como de costume, longas que chamaram atenção em Cannes, Veneza, Berlim e outros dos festivais de cinema mais importantes do mundo estão presentes na programação. Boa parte dos principais filmes da mostra francesa foi incluída, caso de O Silêncio de Lorna, dos irmãos Dardenne; Sinédoque, Nova Iorque, estreia na direção de Charlie Kaufman (celebrado roteirista de Quero Ser John Malkovich e Adaptação); a animação israelense Waltz With Bashir; e Che, épico cinematográfico de Steven Soderbergh, com o premiado com a Palma de Ouro Benicio Del Toro.

Outro filme cujo elenco arrancou elogios, mas em Veneza, foi O Casamento de Rachel, que desde já pôs a jovem Anne Hathaway ( "Diário de uma princesa") entre as candidatas ao Oscar. O público também vai poder assistir Gomorra, Grande Prêmio do Júri em Cannes, aclamado como um dos pilares do renascimento do cinema italiano ao lado de Sanguepazzo, também incluso na programação.

Madonna estréia na direção com
o longa "Sujos e Sábios" / Divulgação

Veteranos e Madonna

Entre as obras de cineastas veteranos, a mais aguardada é a volta de Francis Ford Coppola. Dez anos depois de seu último filme, o diretor da trilogia O Poderoso Chefão e Apocalypse Now lança agora Velha Juventude, estrelado por Tim Roth. Outros favoritos da crítica mundial com presença garantida no Rio são o russo Alexander Sokurov (Alexandra), Andrzej Wajda (Katyn), Amos Gitai (Mais Tarde, Você Vai Entender) e Eric Rohmer (Les Amours d'Astrée et de Céladon). Também está prevista a exibição de Caos, último filme do egípcio Youssef Chahine, que morreu em julho.

As filas, no entanto, devem se formar nas sessões de filmes pop, como em Ponyo on the cliff by the sea, nova animação de Hayao Miyazaki, diretor de Viagem de Chihiro; Sukiyaki Western Django, filme japonês com participação especial do diretor Quentin Tarantino; e Valentino, o Último Imperador, documentário sobre o estilista que virou sensação em Veneza. Os cultuados Cédric Klapisch, de Albergue Espanhol, e Michel Gondry, de Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, também devem deixar salas lotadas com, respectivamente, Paris e Rebobine, Por Favor (comédia com Jack Black).

RocknRolla, a Grande Roubada, último trabalho de Guy Ritchie, marido de Madonna, também está confirmado, na sessão Foco Reino Unido. Como se não bastasse, em uma espécie de aquecimento para a chegada da turnê Sticky & Sweet, dois filmes com a participação da cantora foram incluídos na programação. Eu Sou Porque Nós Somos, documentário sobre o Malaui narrado por ela, provocou frisson em Cannes, graças à passagem da popstar pelo tapete vermelho. Já Sujos e Sábios é a estreia de Madonna na direção. O filme é protagonizado por Eugene Hutz, vocalista da banda Gogol Bordello, que toca no Brasil no Tim Festival, em outubro.

Além de Gogol Bordello, outros nomes da música têm espaço garantido na programação, inclusive com uma mostra específica, chamada Midnight Songs (canções da meia-noite). Documentários sobre Philip Glass, Patti Smith, Joe Strummer e a família Marley estão agendados, assim como CSNY: Deja Vu, do roqueiro Neil Young, que registra a volta do grupo Crosby, Stills, Nash & Young em uma turnê contra George W. Bush e a guerra do Iraque.

Quentin Tarantino no faroeste japonês "Sukiyaki Western Django" / Divulgação

Troféu Redentor

A disputa pelo Troféu Redentor, concedido aos filmes brasileiros em competição, será dada entre 35 produções nacionais. Entre os longas de ficção, destaque para primeiro trabalho atrás das câmeras de dois atores: Selton Mello, com Feliz Natal, e A Festa da Menina Morta, de Matheus Nachtergaele. A Festa foi um dos ganhadores do Festival de Gramado, do qual também participaram Juventude e Vingança, que também disputam o prêmio.

Nos documentários, um fato curioso: seis dos dez filmes em competição enfocam um tema musical. São eles: Cantoras do Rádio, Contratempo (dirigido por Malu Mader e Mini Kerti), Jards Macalé ¿ Um Morcego na Porta Principal, Loki ¿ Arnaldo Baptista, Palavra (En)Cantada e Titãs ¿ A Vida Até Parece Uma Festa.

Diversos outros filmes nacionais se espalham pelas mais de 20 mostras temáticas do festival, entre elas Cenas do Rio, só com produções que enfocam a capital carioca, e Tesouros da Cinemateca. Em Première latina, estão estreias sul-americanas e do México, com destaque para três dos maiores representantes do novo cinema argentino: Lucrecia Martel (A Mulher Sem Cabeça), Pablo Trapero (Leonera) e Daniel Burmán (Ninho Vazio).

Ainda há mostras dedicadas aos 100 anos da imigração japonesa, Derek Jarman, irmãos Taviani, ao mundo gay, ao diretor mexicano Arturo Ripstein e às divas italianas, como Claudia Cardinale, Gina Lollobrigida e Sophia Loren. Tudo isso em duas semanas, dando centenas de motivos para não ficar em casa.

Cinemas exibidores

- Salas do Circuito Estação (Odeon Petrobras, Espaço de Cinema, Estação Botafogo, Estação Ipanema, Estação Barra Point, Estação Vivo Gávea): R$ 13
- Palácio: R$ 13
- Leblon e Roxy: R$ 14
- Cine Santa: R$ 12
- Centro Cultural da Justiça Federal, Caixa Cultural, Memorial Getúlio Vargas e Ponto Cine: R$ 6
- Cinemark Downtown: política de preços da sala

Sessão popular: R$ 2 (Odeon Petrobras)
Entrada franca: Oi Futuro, Auditório BNDES e Cine Maison

Passaportes [válidos para Circuito Estação]: 50 ingressos (R$ 260) e 20 ingressos (R$ 130)
Venda antecipada: até 01/10, no Espaço de Cinema (Rua Voluntários da Pátria, 35) e Ingresso.com.br (com taxa de conveniência)
Bilheteria: nos cinemas, para as sessões do dia.

* Meia-entrada para estudantes e idosos. Funcionários da Petrobras, OI e BNDES têm 50% de desconto nas salas do Circuito Estação.

Leia mais sobre: Festival do Rio

    Leia tudo sobre: festival do rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG