A última década foi a mais quente já registrada na Terra, de acordo com uma nova análise das temperaturas da superfície global divulgada ontem pela Nasa. A agência espacial norte-americana também descobriu que 2009 foi o segundo ano mais quente de acordo com as medições de temperaturas, iniciadas em 1880.

O ano passado foi apenas uma fração de grau mais frio do que 2005.

Segundo James Hansen, que dirige o Instituo Goddard para Estudos Espaciais da Nasa, as temperaturas globais mudam em razão das variações de aquecimento e esfriamento dos oceanos. "Quando fazemos a média de temperatura por cinco ou dez anos para diminuir essa variação, descobrimos que o aquecimento global continua sem perder a força", disse Hansen em comunicado.

O forte efeito La Niña, que esfriou o Oceano Pacífico, fez de 2008 o ano mais frio da década, segundo o instituto, sediado em Nova York. Ao analisar os dados, os cientistas da Nasa descobriram uma clara tendência de aquecimento, embora tenha havido estabilidade nos anos 1940 e 1970.

Os registros mostram que as temperaturas tendem a subir cerca de 0,2 graus Celsius por década nos últimos 30 anos. A média das temperaturas globais aumentaram cerca de 1,5 grau Fahrenheit desde 1880.

"Este é um número importante para se ter em mente", disse Gavin Schmidt, climatologista do instituto. "A diferença entre o segundo e o sexto ano mais quente é banal, porque incerteza sobre nas medições de temperatura é maior do que as diferenças entre os anos mais quentes".

A análise foi baseada em dados climáticas de mais de mil estações meteorológicas em todo o mundo, observações de satélite sobre as temperaturas das superfícies dos mares e medições de estações de pesquisa na Antártida.

As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.