UEL vai investigar possíveis excessos em trotes

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), no norte do Paraná, vai analisar possíveis excessos na prática de trote, que teriam sido observados na manhã desta segunda-feira nos cursos de agronomia, direito, veterinária e psicologia, segundo informações que chegaram à chefia de Divisão de Políticas de Graduação.

Agência Estado |

Processos administrativos disciplinares devem ser instaurados, provavelmente nesta terça, e podem resultar até em expulsão. A UEL iniciou nesta segunda o ano letivo para cerca de 16 mil alunos, dos quais 3 mil são calouros.

AE

Estudantes são submetidos a trote na UEL, no Paraná


A situação mais constrangedora documentada por cinegrafistas aconteceu no curso de agronomia. Com o objetivo de fugir das câmeras do circuito interno, estudantes veteranos optaram por levar os calouros a uma estrada de terra fora da universidade. Ali, os novatos foram obrigados a se deitar no chão, muitos sem camisa, formando uma espécie de passarela. Os colegas passaram a pisar sobre seus corpos.

O chefe da Divisão de Políticas de Graduação, Everson Antonio Moro Cazarim, disse que, para esse caso específico, serão requisitadas as imagens feitas por canais de televisão, além de se contar com a ajuda dos professores do curso na identificação.

Nos outros cursos em que os trotes tiveram a conotação negativa foram feitas algumas fotos que servirão como prova nos processos administrativos. Nesses casos os calouros foram atingidos com tinta, ovos e lama. Segundo Cazarim, alguns estudantes de psicologia foram flagrados ingerindo bebidas alcoólicas. Como o trote se dava dentro do campus, onde é proibido o consumo de álcool, será instaurado um processo específico para essa infração. Cazarim ressaltou, no entanto, que a maioria dos cursos optou por ações culturais e de ajuda solidária.

Leia mais sobre: trotes - UEL

    Leia tudo sobre: trotes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG