Twitter e Facebook marcaram mundo virtual em 2009

O Twitter, impulsionado pela popularização dos smartphones, elevou seus 140 caracteres às alturas do mundo virtual este ano, enquanto o Facebook deixou para trás o MySpace e se tornou a maior rede social do mundo.

AFP |

"Estes são os grandes vencedores", disse Jason Keath, assessor de uma consultoria de redes sociais da Carolina do Norte (sudeste) e fundador do SocialFresh.com, que organiza conferências sobre o tema. "O Facebook praticamente triplicou de tamanho este ano".

"O Twitter cresceu imensamente", acrescentou Keath. "Acho que tinha entre dois e quatro milhões de usuários no começo do ano, agora estão perto de 40 milhões".

Com 250 milhões de membros, "se o Facebook fosse um país seria a quarta nação mais populosa", destacou Scott Stanzel, ex-vice-secretário de imprensa do ex-presidente George W. Bush, que também trabalhou para a gigante do software Microsoft.

"Há um ano, acho que as pessoas não teriam pensado que o Twitter teria a influência que teve", acrescentou Stanzel, que agora dirige a Stanzel Communications, uma consultoria de relações públicas com sede em Seattle que oferece assessoria em redes sociais.

O Twitter "estava ganhando popularidade, mas realmente explodiu este ano e o fez de forma que se tornou incrivelmente penetrante", disse.

O Twitter dispensou ofertas de compra de centenas de milhões de dólares do Google e do próprio Facebook, e sua influência como ferramenta de comunicação e informação foi demonstrada de várias maneiras ao longo deste ano.

Em junho, o Departamento de Estado pediu ao Twitter que adiasse uma suspensão programada de seu serviço para manutenção, porque a rede estava sendo muito usada por manifestantes revoltados com o resultado das eleições presidenciais no Irã.

Mais recentemente, Google e Microsoft começaram a integrar mensagens do Twitter em seus respectivos motores de busca, uma nova característica descrita como busca em tempo real.

Além disso, a crescente adoção de smartphones teve muito a ver com a expansão do Twitter, estimou Jack Levin, co-fundador e chefe executivo da ImageShack, companhia que dirige o site yfrog.com, que compartilha imagens e vídeos no Twitter.

"A explosão dos smartphones nos Estados Unidos e em muitos outros países impulsionou a facilidade de comunicação entre as pessoas, e o Twitter certamente está no meio disso", disse Levin.

"As pessoas querem se comunicar e o Twitter é na verdade uma plataforma de comunicações", explicou. "E ele é um híbrido entre a troca instantânea de mensagens e o e-mail".

O yfrog.com, de Levin, é um dos milhares de aplicativos criados para o Twitter por desenvolvedores independentes de software, e conseguiu crédito ao capitalizar a popularidade do serviço de microblog.

O Facebook, que deu início à tendência de abrir espaço para criadores independentes criarem divertidos mini-aplicativos, também percebeu de fato quão atraente era ter a possibilidade de se conectar de qualquer lugar em qualquer momento.

"O que eles fizeram e o MySpace não é que realmente expandiram o alcance de sua rede", indicou Keath. "O Facebook Connect é grande parte disso, é possível controlar o Facebook e se conectar de qualquer outro lugar", como de um telefone inteligente, por exemplo.

Facebook e Twitter são populares principalmente porque "dão valor real às pessoas em sua vida pessoal e profissional", segundo Stanzel.

"É possível acompanhar centenas, talvez milhares de pessoas, com apenas uma conta do Facebook ou do Twitter", destacou.

Além disso, "as empresas e políticos ativos no Facebook, Twitter ou YouTube (portal para compartilhar vídeos) estão costruindo uma relação permanente com seus consumidores e eleitores, porque estão no meio das conversas", acrescentou Stanzel.

Keath disse acreditar que o crescimento do Twitter vai desacelerar, já que é muito difícil que consiga igualar a ascensão meteórica registrada em 2009.

cl/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG