SÃO PAULO ¿ Se a minissérie Maysa - Quando Fala o Coração, da Globo (que terminou dia 16 de janeiro), foi criticada por maquiar os defeitos da cantora e mostrá-la de forma mais light, o mesmo não poderá ser dito do especial Maysa - Estudos. O programa da TV Cultura, que vai ao ar hoje, às 22h10, é a reprise da última participação de Maysa na televisão.

Exibir o especial, segundo a emissora, é uma forma de homenagear a cantora. Hoje, completam-se 32 anos de sua morte.

Produzido por Antônio Abujamra e Dorival Dellias em 1975, eles não se preocuparam em esconder nenhum lado da cantora. Os diversos closes, no rosto, na testa e nas mãos, escancaram rugas e uma pele desgastada pelos hábitos e vida desregrada. Tanto é que, no meio do programa, Maysa solta um comentário, enquanto lança algumas baforadas no cigarro: "A única conclusão a que eu posso chegar é que a minha pele está um pouco machucada."

Se o cigarro é onipresente no programa, não se vê, no entanto, nenhuma garrafa de álcool. Mas nem precisa. Visivelmente alcoolizada, a rainha da fossa mal se aguenta em pé e cai sentada fora do estúdio. Ali fica prostrada (a cena não é mostrada no ar). Por causa disso, quase que o especial vai por água abaixo.

Para solucionar o impasse, Abujamra muda a iluminação e as câmeras de lugar. Foca a musa sentada no chão e ali se desenrola o especial, com cabos das câmeras todos à mostra. "Queriam tirá-la de lá. Não deixei. Mudei a luz e fizemos o programa assim mesmo", diz Abujamra. "Realmente, ela estava alcoolizada. Mas, mesmo assim, Maysa esteve absolutamente fantástica."

Maysa canta músicas de Tom Jobim, Vinicius de Moraes e composições próprias. No repertório estão as canções "Preciso Aprender a Ser Só", "Meu Mundo Caiu", "Por Causa de Você", "Se Todos Fossem Iguais a Você" e "Dindi". Sua melhor interpretação fica por conta da canção francesa "Ne Me Quitte Pas", famosa na voz de Edith Piaf.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.