FORTALEZA - O gerente da barraca Croco Beach, Heitor Batista, disse nesta segunda-feira que somente o turista italiano e sua filha, de 8 anos, estavam na piscina quando um casal de brasileiros, incomodados com o comportamento do pai, acionou os monitores. Na última terça-feira, o italiano foi preso em flagrante em Fortaleza, sob a suspeita de ter abusado sexualmente da menina enquanto estava com ela na piscina.

O italiano foi enquadrado na Lei do Estupro, que entrou em vigor em 7 de agosto. Pelas novas regras, são enquadrados como violência sexual toques corporais e beijos forçados.

A declaração de Batista, dada à Agência Brasil, contradiz a mulher do empresário italiano, que disse que também estava na piscina com o marido e a filha. Além dela, afirmou a mulher, outro casal de amigos também estariam no local.

"Na piscina só estavam o italiano e a filha dele. O resto do pessoal estava em uma mesa consumindo. [Eles] Tinham almoçado, mas na piscina estava só o italiano e a filha", disse o gerente.

A mãe da criança também afirmou que o marido e a filha não falam português, o que foi contestado por Batista. Segundo ele, a família frequenta o local há bastante tempo e a menina e o pai se comunicam normalmente.

"A filha fala bem o português e fala italiano também, porque ela nasceu lá [na Itália]. Ele fala português meio misturado com italiano", disse o gerente. "Ele se comunica bem, pelo menos na nossa área, que é a gastronomia".

No dia da prisão, segundo Batista, o italiano, a esposa e a filha estavam acompanhados por duas pessoas - uma vizinha da família que mora em Goidonia, província de Roma, e o filho dela.

O gerente afirmou ainda que as imagens do circuito interno da barraca mostram a família saindo do local. Somente o italiano e a filha estariam enrolados em uma toalha, enquanto a mulher e os dois acompanhantes estariam vestidos.

Reclamação

Na versão da mãe, em nenhum momento sua família foi abordada pelos funcionários da barraca, que tem 13 mil metros quadrados. No entanto, de acordo com os funcionários, eles a avisaram sobre a reclamação do casal de turistas brasileiros, quando ela estava em uma lan house no local.

Depois disso, a mãe teria perguntado de quem era a reclamação e teria ido até o casal de brasileiros, para iniciar uma discussão. Irritado, o casal resolveu chamar a polícia.

Durante a confusão, segundo Batista, a menina chorava muito. "Ela chorava e dizia que iriam prender o pai e que a culpa era dela", afirmou.

Assista ao vídeo sobre o caso:

Leia também:

Leia mais sobre: abuso

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.