Tumba de criança de cultura Gallinazo é descoberta no Peru

Uma tumba intacta contendo os restos mortais de uma criança e três vasos de cerâmica da cultura Gallinazo, de aproximadamente 2.500 anos de idade, foi descoberta no norte do Peru, informou nesta quinta-feira o arqueólogo Walter Alva.

AFP |

"A tumba está intacta, com os restos de um menino de entre 3 e 4 anos de idade, que não apresenta sinais de ter tido uma morte violenta", disse Alva à AFP, destacando a importância da descoberta.

A tumba fica no centro cerimonial Ventarrón, no departamento de Lambayeque, 700 quilômetros a norte de Lima, região rica em sítios de interesse arqueológico, por ter sido cenário do desenvolvimento da cultura Mochica, anterior ao império dos Incas.

A cultura Gallinazo ocupou parte dos departamentos de Lambayeque e La Libertad no período compreendido entre 200 a.C. e 350 d.C., antes dos mochicas.

"Conseguimos escavar e registrar neste local a tumba de um menino, que tinha três vasos com desenhos de pássaros como oferendas, do estilo da cultura Gallinazo", indicou o pesquisador.

"Temos todos os indícios necessários para afirmar que estamos diante de um dos vestígios mais antigos da região", disse por sua vez o arqueólogo Ignacio Alva, filho de Walter, que fez a descoberta há um mês.

Pai e filho ressaltaram a importância da descoberta, já que pouco se conhece sobre a cultura Gallinazo.

bur/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG